Inglaterra-1984: Senna, um pódio para ninguém contestar

Terceiro em Brands Hatch-1984, Senna ergue o braço de Niki Lauda, vencedor da prova: brasileiro mostrou sua capacidade

Terceiro em Brands Hatch-1984, Senna ergue o braço de Lauda, o vencedor: resultado veio no braço

Que Ayrton Senna da Silva era um piloto talentoso, a Fórmula 1 não duvidava. Afinal, acompanhava atentamente suas exibições nas categorias de acesso. Entretanto, ao estrear em 1984, a bordo de um Toleman, alguns passaram a questionar isso. A resposta do brasileiro, porém, viria na pista. Logo em sua segunda corrida na carreira, no GP da África do Sul, em Kyalami, obteve seu primeiro ponto ao ficar em sexto. Quatro provas mais tarde, deu um show à parte no GP de Mônaco, quando assegurou o segundo lugar depois da prova ser interrompida em razão da tempestade que caía sobre o Principado. Porém, precisava provar de fato sua capacidade. Afinal, o pódio na etapa monegasca veio – literalmente – do céu.

Depois de Mônaco, o campeonato teve três etapas na América do Norte. Todavia, Senna não pontuou em nenhuma das provas – terminou em sétimo no GP do Canadá, em Montreal, e abandonou o GP dos Estados Unidos-Leste, em Detroit, e o GP dos Estados Unidos, em Dallas. Após a perna no continente americano, o ‘circo’ retornou à Europa. Para Ayrton, os ares do Velho Mundo seriam renovadores para a Toleman. E realmente foram. Com méritos, o brasileiro conquistou o terceiro lugar no GP da Inglaterra, em Brands Hatch. Em 22 de julho de 1984, Ayrton mostrou definitivamente ao que veio na F1. Não houve chuva, nem qualquer outro benefício, que colocasse Senna no pódio. O troféu foi consequência de seu empenho, premiando um campeão em construção.

Antes de Brands Hatch, Ayrton vinha de uma sequência ruim na América do Norte: reação veio na Europa

Antes de Brands Hatch, Ayrton vinha de uma sequência ruim na América do Norte: reação veio na Europa

Antes dos carros ingressarem no circuito de Brands Hatch, a FISA anunciou a uma severa punição contra a Tyrrell. Por inserir esferas de chumbo nos reservatórios de água do modelo 012, a fim de encobrir um peso abaixo do permitido, a escuderia de Ken Tyrrell perdeu todos os pontos obtidos no campeonato até então. Além disso, os resultados conquistados por Stefan Bellof e Martin Brundle não seriam computados na classificação. O time, porém, entrou com um recurso, garantindo sua participação na disputa. Com a perda dos resultados da Tyrrell, Ayrton acabou ganhando um ponto, ao herdar o sexto lugar no GP da Bélgica, em Zolder. Dessa forma, Senna passava a ter cinco pontos em nove corridas. Um saldo satisfatório, em se tratando de um piloto estreante.

Porém, o pontinho obtido no tapetão não chegou a ser celebrado pela Toleman. Pelo contrário: a etapa inglesa, a 10ª do Mundial, acabou sendo um teste emocional para o piloto e sua equipe. Na sexta-feira de treinos, um forte acidente fez com que o companheiro de Ayrton, Johnny Cecotto, quebrasse as pernas. O clima ficou tenso nos boxes da escuderia. O TG184 passou a ter sua segurança contestada. Ainda assim, o brasileiro foi para a pista. No sábado, notou que o bólido havia se adaptado bem ao veloz e traiçoeiro circuito britânico. No fim do treino, estabeleceu a sétima marca, com 1m11s890. O tempo de Senna foi 1s021 inferior ao estabelecido por Nelson Piquet (Brabham), pole com 1m10s869.

Na largada, Senna perdeu posições para Mansell e Alboreto

Na largada do GP da Inglaterra, Senna acabou perdendo posições para Mansell e Alboreto

A corrida

Convencido de que poderia retornar à zona de pontuação, Ayrton alinhou no grid de Brands Hatch determinado a cumprir com seu objetivo. Na largada, porém, o brasileiro foi superado por Nigel Mansell (Lotus) e por Michele Alboreto (Ferrari), caindo para o nono lugar. Mesmo saindo mal, o piloto da Toleman ficou bem afastado do forte acidente protagonizado por Riccardo Patrese (Alfa Romeo), Jo Gartner (Osella), Philippe Alliot (RAM) e Eddie Cheever (Alfa Romeo), na Graham Hill Bend. Apesar da confusão, a corrida continuou normalmente. A fim de não perder contato com os adversários, Senna superou Mansell na volta 2. Duas voltas depois, foi a vez de ultrapassar Alboreto, para recuperar o sétimo lugar.

Na volta 5, um problema de motor tirou Keke Rosberg (Williams) da corrida. Dessa forma, Ayrton assumiu a sexta posição. Ali permaneceu até a volta 11, quando Jonathan Palmer (RAM) sofreu um forte acidente. Os destroços do carro do inglês ficaram pela pista, e a direção de prova resolveu interromper a disputa. Após a limpeza, os carros voltaram para o grid, respeitando as posições vigentes até aquele momento. Na nova largada, Senna voltou a patinar, sendo superado por Alboreto e Patrick Tambay (Renault). Na volta 13, o brasileiro da Toleman ultrapassou Michele, retomando o sétimo lugar.

Na volta 34, Ayrton se livrou de Patrick Tambay para assumir o quinto lugar

Na volta 34, Ayrton se livrou de Patrick Tambay (Renault) para assumir o quinto lugar

A partir dali, Ayrton tentava acompanhar Patrick, mas a Renault era superior à Toleman. Para recuperar uma posição no top 6, torcer contra os rivais passou a ser necessário. Na volta 34, Tambay perdeu rendimento, e Senna assumiu o sexto lugar. Quatro voltas depois, Alain Prost (McLaren), líder em Brands Hatch, abandonou com problemas na caixa de câmbio. Com isso, Ayrton foi para quinto. À frente do piloto da Toleman, estavam Niki Lauda (McLaren), Nelson Piquet (Brabham), Derek Warwick (Renault) e Elio de Angelis (Lotus). O brasileiro parecia se conformar com um lugar entre os cinco primeiros, quando, a seis voltas do fim, a sorte sorriu para ele.

Quarto colocado, De Angelis passou a se arrastar na pista. Senna se aproveitou da queda de ritmo do italiano para superá-lo na volta 65. Na passagem seguinte, Piquet enfrentou problemas no turbo do motor BMW de seu Brabham, e viu seu desempenho cair vertiginosamente. Na volta 67, Ayrton superou o compatriota e assumiu a terceira colocação. Depois disso, foi só levar o Toleman com carinho por mais quatro voltas e receber a bandeira quadriculada.

No fim da prova, Senna se aproveitou dos problemas de De Angelis e Piquet para ficar em terceiro

No fim da prova, Senna se aproveitou dos problemas de De Angelis e Piquet para ficar em terceiro

A vitória ficou com Lauda, seguido por Warwick. Já o pódio de Senna amenizou o clima em seu time, que estava preocupado com Cecotto, e serviu de resposta para aqueles que desconfiavam do seu potencial. Ayrton não queria ser tratado como um garoto com sorte, mas sim como um piloto vencedor. Depois do grande feito de Brands Hatch, o mundo reconhecia: era o brasileiro que levava a Toleman nas costas.

Lauda, Warwick e Senna dão volta para saudar o público presente em Brands Hatch:

Com Lauda e Warwick, Senna saúda público: nos 10 primeiros GPs da carreira, 9 pontos e 2 pódios

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Alfa Romeo, Ayrton Senna, Eddie Cheever, Grã-Bretanha, Inglaterra, Johnny Cecotto, Jonathan Palmer, Ken Tyrrell, Martin Brundle, Osella, Phillipe Alliot, RAM, Riccardo Patrese, Stefan Bellof, Toleman, Tyrrell. ligação permanente.

Uma resposta a Inglaterra-1984: Senna, um pódio para ninguém contestar

  1. Paulo diz:

    Para muitos esta foi a melhor atuação de Senna em 1984, porque era uma pista de alta velocidade onde a pouca potência dos motores Hart foram altamente prejudiciais. Ai deu para ver que tinham 2 gênios na pista Senna e Rory Byrne.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s