Japão-2019: Sainz ‘segura’ Ferrari e Red Bull e é top 5

Sainz segura Albon em Suzuka: espanhol encarou rivais da Red Bull e da Ferrari em Suzuka

Sainz segura Albon em Suzuka: espanhol encarou rivais da Red Bull e da Ferrari no GP do Japão

Por Denise Vilche*
Colaboradora

A Mercedes pode até ter subido no degrau mais alto do pódio, mas quem teve
motivos para comemorar o resultado do GP do Japão, realizado no dia 13 de outubro
de 2019, foi a McLaren e seu piloto Carlos Sainz Jr.. O espanhol andou no ritmo dos carros de Ferrari e Red Bull, e foi premiado com a conquista de um excelente quinto lugar em Suzuka. O resultado na etapa japonesa colocou Sainz entre os seis melhores do Mundial. Além disso, o top 5 ratificou uma boa recuperação de Carlos no campeonato – ele já vinha de um ótimo sexto lugar no GP da Rússia, em Sochi, duas semanas antes.

A McLaren desembarcou no Japão tendo seus dois pilotos em situações bem distintas no Mundial. Enquanto Lando Norris ocupava o nono lugar, com 35 pontos, Carlos estava em sétimo, com 66 pontos. Ele brigava com Pierre Gasly pelo sexto lugar no campeonato – o francês da Toro Rosso tinha 69 pontos, apenas três a mais que o espanhol da McLaren. E o fim de semana em Suzuka tinha um ingrediente que poderia atrapalhar o desempenho de pilotos e equipes: a chegada de um tufão, prevista para o sábado, ameaçava a realização do qualifying. Assim, a sexta-feira de treinos livres seria mais importante do que em outras ocasiões.

Sainz, ao lado de Charles Leclerc: pilotos estavam cientes de que um tufão atrapalharia o fim de semana

Sainz, ao lado de Charles Leclerc: pilotos estavam cientes de que um tufão atrapalharia o fim de semana

A sexta parecia que não ia começar bem para Carlos, que teve um problema em seu carro logo na saída dos boxes no primeiro treino livre. A McLaren conseguiu resolver a pane com celeridade, e o madrileno marcou o sétimo melhor tempo, com 1m30s702, três posições à frente de Norris, 10º com 1m31s001. A liderança ficou com as Mercedes: Valtteri Bottas foi o mais veloz, com 1m28s731, enquanto Lewis Hamilton foi o segundo, com 1m28s807.

Com a previsão do tufão, o segundo treino livre passou a ter um maior valor em Suzuka. Caso não houvesse condições de realizar o qualifying nem no sábado, nem no domingo de manhã, o grid seria definido com o resultado da sessão. A Mercedes voltou a dominar as ações. Bottas foi novamente o primeiro, com 1m27s785, contra 1m27s885 de Hamilton. Novamente, Sainz teve um bom desempenho e terminou em sétimo, com 1m29s051. E, mais uma vez, à frente de Norris, 10º, com 1m29s358.

Carlos em ação em Suzuka: no qualifying, espanhol conquistou um bom sétimo lugar no grid

Carlos em ação em Suzuka: no qualifying, espanhol conquistou um bom sétimo lugar no grid

A meteorologia japonesa acabou sendo certeira, e o tufão deu as caras em Suzuka no sábado. Com isso, o terceiro treino livre foi cancelado e o qualifying acabou sendo adiado para domingo de manhã, horas antes da realização do GP do Japão. Apesar do vento, o céu estava limpo em Suzuka para o qualifying, para alívio de pilotos e escuderias. Na McLaren, Sainz queria manter a supremacia sobre Norris. Entretanto, nas duas primeiras fase do quali, Lando andou na frente de Carlos. Mas na hora de decidir a posição final no grid de largada, o espanhol levou a melhor sobre o britânico: com 1m28s304, ficou em sétimo, 0s160 à frente do companheiro, oitavo com 1m28s464.

Apesar de feliz com o resultado, Carlos saiu do cockpit com a sensação de que a McLaren poderia ter rendido mais. “Minha sensação no carro começou a melhorar durante a classificação. E uma volta muito forte na última tentativa me levou a terminar em sétimo, o melhor do resto. Não foi tão fácil, já que tivemos problemas com as baterias. Quanto mais velhas elas ficam, menos energia elas são capazes de recuperar do MGU-K, então nossos dados mostram que isso me custou um pouco de tempo, por volta de dois décimos”, avaliou. Na frente, Sebastian Vettel (Ferrari) tirou a pole das mãos da Mercedes, fazendo 1m27s064. Charles Leclerc (Ferrari) completou a dobradinha de Maranello na primeira fila, com 1m27s253. Valtteri Bottas (Mercedes), Lewis Hamilton (Mercedes), Max Verstappen (Red Bull) e Alexander Albon (Red Bull) completaram o top 6 do grid do GP do Japão.

Horas depois do qualifying, acontecia a largada do GP do Japão de 2019, em Suzuka

Horas depois do qualifying, acontecia a largada do GP do Japão de 2019, em Suzuka

A corrida

Se o qualifying trouxe um atrativo inusitado ao domingo, o mesmo não pôde ser dito sobre o GP do Japão. Em Suzuka, a prova foi mais monótona do que o esperado. Seu início até chegou a ser animado. Na largada, Valtteri Bottas (Mercedes) saltou de terceiro para a ponta, superando o pole position Sebastian Vettel (Ferrari), que caiu para segundo. Atrás do finlandês e do alemão, Max Verstappen (Red Bull) e Charles Leclerc (Ferrari) se tocaram e o holandês acabou rodando, caindo para o 18º lugar. O monegasco seguiu em terceiro, seguido por Lewis Hamilton (Mercedes), o quarto. Já Carlos Sainz Jr. (McLaren) fez uma excelente largada, subindo para quinto após contar com a rodada de Verstappen e superar Alexander Albon (Red Bull).

Sainz ainda ganharia mais uma posição no início. Na volta 3, Leclerc foi para os boxes para trocar a asa dianteira que foi danificada no toque com Verstappen. Assim, Carlos ascendeu para a quarta colocação, atrás somente de Bottas, Vettel e Hamilton. Com o passar das voltas, o espanhol passou a ser perseguido por Albon, que se mantinha a menos de um segundo do piloto da McLaren. O anglo-tailandês tentou, mas não fez a ultrapassagem até realizar sua parada nos boxes, na volta 15. Assim como Albon, grande parte dos pilotos apostaram na estratégia de dois pit stops. Entretanto, Carlos resolveu fazer apenas uma, na volta 26, voltando à pista em quinto – e já atrás do piloto da Red Bull.

Sainz andando à frente de Albon: piloto da McLaren só estava atrás de Ferrari e Hamilton
Sainz andando à frente de Albon: piloto da McLaren só estava atrás de Ferrari e Hamilton

Na volta 34, Albon realizou sua segunda parada. Como havia construído uma confortável vantagem, conseguiu se manter em quarto, à frente de Sainz. A quinta posição parecia o limite para o espanhol. Contudo, ele precisaria se preocupar ainda com uma investida de Leclerc, que fazia prova de recuperação e havia adotado uma tática de três paradas. A estratégia colocou o monegasco em sexto. Porém, ainda que tivesse pneus novos, não conseguiu tirar a quinta colocação de Carlos, que celebrou mais um top 5 para a sua galeria. “De verdade, foi um dia perfeito”, declarou o espanhol, que ainda elogiou o ritmo da McLaren. “Quando o (Alex) Albon e o (Charles) Leclerc pararam, um na minha frente e um atrás de mim, me mantive no ritmo deles. Foi provavelmente a melhor surpresa do ano para mim e para a equipe. Conseguir essa vantagem e igualar o ritmo do Leclerc e do Albon por aquelas voltas foi muito especial”.

Na frente, Hamilton buscava tirar o segundo lugar de Vettel, com os dois pilotos brigando por várias voltas, mas, no final, Seb acabou derrotando Lewis. Bottas não foi ameaçado pelos multicampeões e ficou com a vitória do GP do Japão de 2019. Foi a terceira vitória do finlandês na temporada, a sexta na carreira. Vettel chegou em segundo, com Hamilton completando o pódio. Na briga pelo campeonato, Hamilton continuou na liderança, com 338 pontos. Bottas seguiu em segundo, com 274, e Leclerc em terceiro, com 223 pontos.

No fim, Sainz se viu atrás de Albon, mas à frente de Leclerc: mais um top 5 para o espanhol
No fim, Sainz se viu atrás de Albon, mas à frente de Leclerc: mais um top 5 para o espanhol

Já para Carlos Sainz, o resultado de Suzuka não poderia ter sido melhor. Com o quinto lugar, o espanhol passou à sexta colocação no campeonato, com 76 pontos, um à frente de Pierre Gasly (Toro Rosso). Para a McLaren, a corrida significou abrir 43 pontos de vantagem em relação à Renault, que foi desclassificada da corrida por uso ilegal de um sistema de freios – a equipe francesa tinha terminado a corrida com seus dois pilotos na zona de pontuação.

Com o resultado de Suzuka, Sainz assumiu a sexta posição no Mundial de Pilotos, com 76 pontos
Com o resultado de Suzuka, Sainz assumiu a sexta posição no Mundial, com 76 pontos
* Sobre Denise Vilche: “Formada em jornalismo, vi a oportunidade perfeita de unir minha formação com a minha paixão pela F1. Conhecida por meus colegas como ‘a que gosta de corridas’, escrevi sobre automobilismo durante três anos para o extinto site ‘Canal da Velocidade’”.
Instagram: @denisevilche
Twitter: @DeniseVilche
Facebook: Denise Vilche
E-mail: denisevilche@gmail.com

(Texto com supervisão do Contos da Fórmula 1)

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Carlos Sainz Jr., Japão, Lando Norris, McLaren, Suzuka. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s