México-2017: Stroll ganha um ótimo top 6 no dia do aniversário

Lance Stroll obteve no México o segundo top 6 da carreira - o primeiro foi no 3º lugar em Baku

Lance Stroll obteve no México o segundo top 6 da carreira – o primeiro foi no 3º lugar em Baku

Lance Stroll (Williams) teve um presente de aniversário pra lá de especial neste domingo, 29 de outubro de 2017. No dia em que completou 19 anos, o canadense conquistou o sexto lugar no GP do México, disputado no Autódromo Hermanos Rodríguez. Foi o segundo top 6 na carreira de Stroll – o primeiro veio com o terceiro lugar no GP do Azerbaijão de 2017, em Baku. Com o resultado obtido na prova mexicana, Lance superou seu companheiro de equipe, o brasileiro Felipe Massa, na classificação do Mundial de Pilotos – o novato subiu para o 10º lugar, com 40 pontos, contra 36 do veterano. Além disso, o resultado do canadense ajudou a Williams a se consolidar na quinta posição do Mundial de Construtores – a equipe de Grove anotou 76 pontos, contra 53 da Toro Rosso, sua perseguidora mais próxima.

Stroll só foi menos celebrado que do que Lewis Hamilton (Mercedes), que sacramentou em solo asteca a conquista do tetracampeonato mundial com duas provas de antecedência. Lewis chegou em nono – três posições atrás de Lance -, igualando o número de títulos de Sebastian Vettel e de Alain Prost. Quarto título à parte, o sexto lugar na Cidade do México foi um inesperado resultado para o canadense. Ele esperava pontuar, mas não em posição tão destacada. O abandono de Daniel Ricciardo (Red Bull) e os imprevistos que dificultaram a vida de Hamilton e Vettel colocaram Lance para o alto da classificação. O fato de nunca ter pisado no Autódromo Hermanos Rodríguez era motivo de preocupação para o novato. Entretanto, Stroll acelerou fundo no circuito mexicano, se adaptou ao traçado e foi um dos principais destaques do fim de semana do GP do México.

Foi a primeira vez que Stroll correu no México: rápida adaptação ao traçado do Hermanos Rodríguez

Foi a primeira vez que Stroll correu no México: rápida adaptação ao traçado do Hermanos Rodríguez

Na sexta-feira, dia dos primeiros treinos livres para a etapa mexicana, o canadense da Williams fez diversas simulações, percorrendo mais do que o percurso de uma corrida. No fim, Lance anotou o 14º tempo, com 1m19s524. Stroll ficou a 0s318 de Massa, 12º com 1m19s206, e a 1s723 de Daniel Ricciardo (Red Bull), o mais veloz da sexta. O calouro ficou satisfeito com o desempenho nas duas sessões livres. “Foi um dia decente e eu gostei da pista. É a minha primeira vez aqui no México, então estou apenas aprendendo o traçado e me adaptando. É definitivamente desafiador devido à alta altitude. Isso deixa o carro muito nervoso, mas é o mesmo para todos. Eu tenho acelerado para tentar entender os limites do carro. Não é fácil conseguir fazer o pneu funcionar em uma volta. Não tenho expectativas para a classificação, mas vamos fazer o que precisamos para dar tudo certo”.

Apesar das dificuldades encaradas no primeiro contato com a pista, Lance queria avançar para o Q3. Porém, sabia que a Williams não tinha condições de chegar à fase final da qualificação no Hermanos Rodríguez. No sábado, tanto Stroll quanto Massa pararam no Q2. O canadense marcou 1m19s159, o que lhe valeu o 12º tempo. Todavia, Lance ficou 1s060 atrás de Felipe – o brasileiro anotou 1m18s099, sendo o 11º mais veloz. A pole position do GP do México ficou com Sebastian Vettel (Ferrari), com o tempo de 1m16s488 – 2s671 mais rápido do que o novato da Williams. Foi a 50ª vez que o alemão alcançou a posição de honra do grid, estando atrás somente de Lewis Hamilton (72 poles), Michael Schumacher (68) e Ayrton Senna (65).

No qualifying, Lance não foi além de um 12º lugar: com a punição a Ricciardo, alinharia em 11º no grid

No quali, Lance não foi além de um 12º lugar: com a punição a Ricciardo, alinharia em 11º no grid

Após a qualificação, Stroll demonstrou decepção com a sua marca. “Não foi um trabalho perfeito. O Q1 estava bem, e, no Q2, a primeira saída foi boa no início da volta, mas depois houve as bandeiras amarelas. Então, na próxima tentativa, eu simplesmente não consegui preparar os pneus e cometi muitos erros. Com isso, não consegui um tempo de volta. Coloquei uma volta no final, mas acho que teria sido muito difícil entrar no Q3. Será uma longa corrida amanhã (domingo), estamos no meio e acho que podemos marcar pontos. Nós apenas temos que resolver algumas coisas e fazer uma boa corrida. Será difícil para todos com a altitude”, afirmou o canadense, que, com a punição dada a Daniel Ricciardo (Red Bull) – o australiano trocou peças de seu motor -, alinharia na 11ª posição do grid.

Largada do GP do México de 2017: Stroll se livrou dos incidentes e ascendeu na classificação

Largada do GP do México: Stroll se livrou dos incidentes nas curvas iniciais e subiu na classificação

A corrida

Domingo, 29 de outubro de 2017. Dia do 19º aniversário de Lance Stroll. O canadense foi festejado nos boxes da Williams antes da prova. Porém, o garoto não podia perder o foco. A cereja do seu bolo festivo seria a conquista de uma boa posição no GP do México. Arquibancadas lotadas faziam pulsar o Autódromo Hermanos Rodríguez. Tudo estava preparado para a comemoração do tetracampeonato de Lewis Hamilton (Mercedes). Bastava um quinto lugar para o britânico arrematar o cetro da Fórmula 1. Porém, Hamilton não saía na primeira fila. Sebastian Vettel (Ferrari) estava na pole, e Max Verstappen (Red Bull) figurava na segunda posição. Quando as luzes vermelhas se apagaram, os três partiram decididos a contornar a primeira curva na frente. Era o prenúncio de que algo conturbado estava por vir…

Verstappen conseguiu se colocar à frente de Vettel, tomando a Curva 1 em primeiro. Max espalhou sobre Sebastian, que tocou no carro do holandês. Com a redução da velocidade do ferrarista, Hamilton se aproveitou para tomar o segundo lugar na Curva 2. O que o britânico e o alemão não esperavam era que Verstappen errasse na saída da Curva 3. Lewis precisou frear para não bater no piloto da Red Bull. Vettel, que vinha logo atrás, deixou a traseira sair e, ao tentar corrigir, acertou a asa dianteira de sua Ferrari no pneu traseiro direito da Mercedes. Assim, os principais protagonistas do Mundial viviam um drama logo no início da etapa. O problema de Vettel e Hamilton – que precisaram se encaminhar aos boxes – fez com que Stroll, que saiu em 11º, completasse a volta 1 em nono.

Stroll chegou a ser ultrapassado por Ricciardo, mas o australiano abandonaria logo depois: quebras ajudaram o canadense

Stroll chegou a ser ultrapassado por Ricciardo, mas o australiano abandonaria logo depois

Calçando pneus ultramacios, o canadense imprimiu um bom ritmo no início da corrida. Na volta 2, viu Carlos Sainz Jr. (Renault) ir para os boxes, o que fez Lance assumir a oitava posição. Na passagem seguinte, não resistiu ao melhor equipamento de Daniel Ricciardo (Red Bull), que, em prova de recuperação, superou Stroll. Porém, o novato seguiu em oitavo, uma vez que Felipe Massa (Williams), com problema em um pneu de seu carro, precisou parar nos boxes. Na volta 5, Ricciardo encostou seu carro após constatar uma falha no turbo de seu Red Bull. Assim, o canadense da Williams ascendeu para sétimo. Lance tentava acompanhar o ritmo de Kimi Raikkonen (Ferrari), mas era em vão. Em contrapartida, colocava boa vantagem sobre Kevin Magnussen (Haas). Na volta 17, Stroll estava a 3s9 do finlandês, e colocava 11s4 sobre o dinamarquês.

Na volta 18, foi aberta a janela de pit stops, com Sergio Pérez (Force India). Assim, Lance subiu para o sexto lugar. Na passagem seguinte, Nico Hulkenberg (Renault) se encaminhou para os boxes, fazendo com que o calouro subisse para a quinta posição. Após a parada de Esteban Ocon (Force India) na volta 21, Stroll assumiu a quarta colocação. Naquele instante, o canadense da Williams estava atrás apenas de Verstappen, Valtteri Bottas (Mercedes) e Raikkonen. Quando todos esperavam a parada imediata de Lance, o FW40 se mantinha na pista. Foi o pulo do gato para o jovem piloto. Com um bom ritmo, Stroll seguia à frente de Ocon.

Stroll aproveitou a presença do virtual safety car para realizar seu único pit stop: decisão acertada

Stroll aproveitou a presença do virtual safety car para realizar seu único pit stop: decisão acertada

 

A permanência na pista só foi interrompida com uma ocorrência fora dos planos da Williams. Na volta 30, o motor Renault do carro de Brendon Hartley (Toro Rosso) fumou, fazendo com que o neozelandês abandonasse a disputa. Com a Toro Rosso parada em local perigoso, a direção de prova acionou o VSC – Virtual Safety Car na volta 32. A fim de aproveitar o momento sob bandeira amarela, um enorme pelotão se dirigiu aos boxes de Hermanos Rodríguez. Lance integrava esse grupo. Na parada, a Williams sacou os pneus ultramacios e colocou os compostos supermacios (mais resistentes), o que faria Stroll completar as 38 voltas restantes da etapa sem maiores percalços. Na volta à pista, Lance se viu em quinto – havia perdido o quarto posto para Ocon.

No retorno da bandeira verde, na volta 34, Stroll estava a 7s7 de Ocon. Por outro lado, o canadense tinha 2s6 de vantagem sobre o herói local, Sergio Pérez (Force India). Na volta 50, Pérez foi superado por um irresistível Vettel, que fazia tremenda prova de recuperação. O alemão assumia a sexta posição. A próxima vítima de Sebastian seria o canadense da Williams. Lance até conseguiu segurar o tetracampeão por uma volta. Porém, na volta 53, o ferrarista voou para cima do novato, que nada pôde fazer: Vettel era o quinto, e Stroll caía para sexto. Três voltas depois, Seb ultrapassou Ocon, ascendendo para a quarta posição. Naquele instante, o piloto da Williams estava colado no rival da Force India. Era a chance de conquistar o quinto lugar no México.

Lance bem que tentou, mas era impossível segurar Vettel

Lance bem que tentou, mas era impossível segurar Vettel: alemão terminou em quarto

Apesar da forte pressão, Stroll não conseguiu ultrapassar Ocon. No final, Lance completou o GP do México embutido no carro rosa de Esteban. A vitória no Autódromo Hermanos Rodríguez ficou com Verstappen – a segunda em 2017 e a terceira na carreira -, seguido por Bottas e Raikkonen. Vettel completou a etapa mexicana em quarto, o que não foi suficiente para manter aberta a disputa pelo título mundial. Hamilton cruzou a linha de chegada em nono, mas festejava a conquista do tetracampeonato. Festa de Lewis à parte, o sexto lugar na Cidade do México foi o melhor resultado do canadense da Williams desde o pódio de Baku. Logo, um excelente motivo para Stroll celebrar o 19º aniversário.

“Acho que foi uma corrida muito controlada. Tive uma boa largada, mas perdi algumas posições enquanto eu estava por fora. Houve alguns problemas técnicos com os adversário, e por isso ganhei alguns lugares. Eu tive um ótimo primeiro stint, um ótimo segundo stint e, no final, não estava suficientemente perto para entrar na zona de DRS para passar Ocon. Eu estava realmente gerenciando os pneus e o carro estava muito equilibrado, então devo um grande agradecimento à equipe. Foi um ótimo dia, um ótimo resultado e um ótimo presente de aniversário. Parabéns também a Lewis, ele é o rei da Fórmula 1, não há dúvida sobre isso. É incrível o que ele realizou. Ele é uma grande inspiração para jovens pilotos como eu”, concluiu Lance.

Stroll celebrou os 19 anos com estilo no México: sexto lugar o colocou à frente de Massa no Mundial

Stroll celebrou os 19 anos com estilo no México: sexto lugar o colocou à frente de Massa no Mundial

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Cidade do México, Esteban Ocon, Felipe Massa, Force India, Haas, Kevin Magnussen, Lance Stroll, México, Sergio Pérez, Williams. ligação permanente.

Uma resposta a México-2017: Stroll ganha um ótimo top 6 no dia do aniversário

  1. Ola a minha sugestão do Gp do Brasil 2017 é a disputa de dois rivais que antes eram companheiros de uma grande equipe de ponta de 2010 até 2013 e um saiu da equipe por causa dele e depois em 2014 o outro piloto também saiu desta equipe brigado com todo mundo dentro da escuderia para guiar uma equipe de nome mas fracassou durante este período e 4 anos depois em Interlagos os dois reviveram esta rivalidade pela disputa pelo 7 lugar Estou falando de Felipe Massa e Fernando Alonso que antes eram protagonistas na F1 há 10 anos e pilotos da Ferrari durante 4 anos e hoje são mero coadjuvantes em 2017 Na corrida o Massa ultrapassou o espanhol nas primeiras voltas e segurou o Alonso durante toda a corrida e garantiu o 7 lugar na sua penúltima corrida da F1 e o Dom Fernando terminou em 8 com a sua limitada Mclaren-Honda

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s