Áustria-2017: Grosjean bate Force India e Williams e é sexto

Grosjean batalha contra Ricciardo, Raikkonen, Hamilton e Force India: avanço da Haas rendeu 6º lugar em Spielberg

Grosjean batalha contra Ricciardo, Raikkonen, Hamilton e Force India: avanço da Haas rendeu top 6

Romain Grosjean viveu um fim de semana de sonho em Spielberg, palco do GP da Áustria de 2017. Em grande forma, o francês viu o modelo VF-17 da Haas se adaptar perfeitamente ao veloz circuito austríaco. O conjunto se mostrou promissor no sábado, quando Grosjean alcançou o sexto lugar no grid, igualando a melhor posição de largada da história da escuderia norte-americana, obtida no GP da Austrália de 2017, em Melbourne, com o próprio Romain. No domingo, após uma excelente partida, o francês chegou a lutar pelo terceiro lugar com Daniel Ricciardo (Red Bull). Contudo, não superou o australiano. Depois, foi ultrapassado por dois pilotos com melhores equipamentos – Kimi Raikkonen (Ferrari) e Lewis Hamilton (Mercedes) -, caindo para sexto. Mas não havia motivo para lamentação. Com extrema competência, Grosjean conquistou a sexta posição em Spielberg, ficando atrás somente dos pilotos das três principais escuderias da F1: Mercedes, Ferrari e Red Bull.

Foi o terceiro top 6 da história da Haas na categoria máxima do automobilismo – os outros foram o quinto lugar no GP do Bahrein de 2016, em Sakhir, e o sexto no GP da Austrália de 2016, em Melbourne. O que os três resultados do time tiveram em comum? Romain no cockpit. Além do excelente desfecho em Spielberg, a Haas celebrou a importância dos oito pontos de Grosjean. Com eles, o time ianque já igualou o número de pontos somados em 2016: 29. Porém, diferentemente do ano anterior, em que Romain obteve todos os pontos, em 2017 o francês amealhou 18, e enquanto seu companheiro, o dinamarquês Kevin Magnussen, somou 11. Se em 2016, a Haas levou 21 provas para chegar aos 29 pontos, em 2017 precisou de apenas nove. Trata-se de um avanço não só para a equipe, como também prova que a decisão de dispensar Esteban Gutiérrez ao fim do ano anterior e de contratar Magnussen para esta temporada foi acertada.

Em Spielberg, Grosjean obteve o primeiro top 6 da Haas no ano, e o terceiro da história da escuderia

Em Spielberg, Grosjean obteve o primeiro top 6 da Haas no ano, e o terceiro da história da escuderia

O sétimo lugar de Kevin na etapa anterior – o GP do Azerbaijão, em Baku – impulsionou a Haas para a corrida austríaca. Grosjean e Magnussen tinham boa expectativa para a pista, que conta com longas retas e curvas velozes. Assim que a dupla ingressou no circuito, no primeiro dia de testes, na sexta-feira, a adaptação foi imediata. Tanto o francês quanto o dinamarquês mostraram excelente forma em Spielberg. Romain saiu com o 10º tempo do dia, com 1m06s763. Ele ficou 0s172 atrás de Kevin, sétimo com 1m06s591, e a 1s280 de Lewis Hamilton (Mercedes), melhor da sexta com 1m05s483. Após os dois treinos livres, Grosjean ficou com a sensação de que coisas boas estavam por vir naquele fim de semana. “Esta sexta foi um bom dia. Tivemos um furo de pneu esta manhã, mas uma tarde produtiva. Reparamos em algumas coisas no carro, então há algum trabalho a ser feito nessa noite. No geral, porém, é um bom sentimento”.

A boa impressão da sexta transformou-se em um estrondoso resultado no sábado. O francês foi o sétimo mais veloz do Q3 de Spielberg, com 1m05s480 – a 1s229 de Valtteri Bottas (Mercedes), pole do GP da Áustria com 1m04s251. Grosjean foi superado somente pelos pilotos de Mercedes, Ferrari e Red Bull. Entretanto, como Lewis Hamilton (Mercedes) havia sido punido com a perda de cinco posições no grid por trocar a caixa de câmbio de seu carro, Romain acabou ficando com o sexto lugar. “Nós fomos rápidos todo fim de semana, Kevin e eu. Nós dois ficamos muito felizes com o carro. Tivemos uma boa aderência no carro”, observou o francês, que emendou. “É uma longa corrida amanhã (domingo). Vai ser difícil para os freios, para o motor e para nós fisicamente. É a segunda vez este ano, depois de Melbourne, que eu sinto que os pneus estão funcionando bem e realmente posso me divertir e forçar o carro até o limite”.

Largada do GP da Áustria de 2017: Grosjean saltou bem, se livrou do acidente da curva 1

Largada do GP da Áustria de 2017: Grosjean pulou para quinto e se livrou do acidente da curva 1

A corrida

Domingo, 9 de julho de 2017. O tempo instável predominava em Spielberg, palco do GP da Áustria. A meteorologia informava que era alta a possibilidade de chuva durante a prova. Caso isso ocorresse, a etapa austríaca se tornaria uma verdadeira loteria. Porém, no instante previsto para a largada, o clima estava firme. Com o piso seco, 20 carros partiram para o início da corrida. Saindo em sexto, Grosjean, calçando pneus ultramacios, acelerou forte na subida até a curva 1. Como Max Verstappen (Red Bull) saiu mal, logo o francês assumiu o quinto lugar. Por ter largado bem, Romain escapou do incidente na curva 1: Daniil Kvyat (Toro Rosso) acertou Fernando Alonso (McLaren). Por sua vez, o espanhol abalroou Verstappen. No fim, Fernando e Max abandonaram logo de cara. Apesar do múltiplo toque, não houve intervenção do safety car.

Em quinto, Grosjean acompanhava de perto a disputa entre Daniel Ricciardo (Red Bull) e Kimi Raikkonen (Ferrari) pelo terceiro lugar. Na freada da curva 3, o australiano espalhou seu carro para cima do finlandês, que foi obrigado a sair da pista. Assim, Romain assumiu o quarto lugar. Como Ricciardo tracionou mal na saída da curva, o francês tentou superar o adversário na curva 4. Todavia, Daniel se manteve no lado de dentro, e impediu que o piloto da Haas ascendesse ainda mais na corrida. Dessa forma, Grosjean completou a volta 1 numa ótima quarta colocação, atrás somente de Ricciardo, Sebastian Vettel (Ferrari) e Valtteri Bottas (Mercedes).

Romain bem que tentou, mas não conseguiu parar Raikkonen: sexto lugar de bom tamanho

Ainda na volta 1, Romain observa Raikkonen e Ricciardo: Kimi saiu da pista, e francês subiu para 4º

Na volta 3, Romain até tentou, mas foi incapaz de segurar o poderio da Ferrari de Raikkonen. Com isso, o francês caiu para o quinto lugar. A partir da volta 6, Grosjean passou a sofrer com a aproximação de Lewis Hamilton (Mercedes). O britânico largou em oitavo, e fazia prova de recuperação. Na volta 8, Hamilton ultrapassou o piloto da Haas, caindo para sexto. A partir daí, o francês não tinha muito a fazer. Era impossível acompanhar Lewis. Com isso, as atenções se voltaram para a disputa com Sergio Pérez (Force India), sétimo em Spielberg. Na volta 10, Grosjean tinha 2s de vantagem sobre o mexicano. Na 20, a diferença pouco se alterou – 1s8 sobre Checo. Dez voltas depois, Romain e Sergio continuaram separados por 2s. Tal desempenho revelava que, em Spielberg, o francês estava no mesmo nível que os pilotos de Force India e Williams.

Porém, era chegada a janela da troca de pneus. Como calçou ultramacios, a tendência era que Grosjean trocasse por compostos supermacios. Na volta 37, a Haas chamou o francês para os boxes. Romain colocou os supermacios e voltou à pista em oitavo, à frente de Pérez – que havia feito seu pit stop na volta 35.  Com a parada de Esteban Ocon (Force India) na volta 43, o francês recuperou o sétimo lugar. Apenas na volta 48, com o pit stop de Felipe Massa (Williams), Grosjean retornou para o top 6. Naquele instante, Romain estava a 30s6 de Raikkonen, o quinto, e tinha 4s7 sobre Pérez, o sétimo. A partir daí, foi administrar a vantagem e conservar os pneus para assegurar a melhor posição da Haas na temporada de 2017 até o momento.

Na volta 37, Grosjean sacou os pneus ultramacios e colocou os macios: sexto lugar assegurado

Na volta 37, Grosjean sacou os pneus ultramacios e colocou os macios: sexto lugar assegurado

A vitória no GP da Áustria ficou com Bottas (a segunda da carreira do finlandês), seguido por Vettel e Ricciardo. Hamilton foi o quarto, Raikkonen, o quinto, e Grosjean, o sexto. Após a prova, Romain festejou o fato de ter sido o único piloto fora do grupo das três grandes (Mercedes, Ferrari e Red Bull) a não tomar volta do vencedor, e de ter ficado à frente de Force India e Williams, duas escuderias mais bem classificadas no Mundial de Construtores do que a Haas.

“Foi uma corrida muito forte. Eu tive uma primeira volta muito boa e estava curtindo um pouco. Lewis (Hamilton) e Kimi (Raikkonen) passaram, mas eu me concentrei em manter Sergio (Pérez) para trás. Nós aceleramos o tempo todo. É assim que gostamos de correr. Foi uma ótima corrida e um ótimo trabalho de todos os membros da equipe. Fiquei feliz com o carro todo o fim de semana. Há algumas coisas que precisamos melhorar, mas hoje (domingo) somos o melhor do resto. Nós mostramos que, quando conseguimos que tudo funcione no carro, somos fortes. Estou ansioso para a próxima corrida. Silverstone vai ser divertido”, analisou o francês.

Com 9 GPs disputados em 2017, Haas já igualou a pontuação do ano de 2016: evolução

Com 9 GPs disputados em 2017, Haas já igualou a pontuação do ano de 2016: evolução perceptível

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Áustria, Daniil Kvyat, Esteban Ocon, Force India, Kevin Magnussen, Romain Grosjean, Sergio Pérez, Spielberg, Toro Rosso. ligação permanente.

4 respostas a Áustria-2017: Grosjean bate Force India e Williams e é sexto

  1. Muito obrigado pelo meu pedido Contos da F1 e só ratificando a Haas pra mim é a grande surpresa da F1 deste ano A equipe norte-americana vem crescendo não só nas últimas corridas mas também nos treinos classificatórios já que é visitante assídua no Q3 e pra mim vai brigar pelo 4 lugar nos construtores com e o Romain Grosjean vem se mostrando um grande piloto,aprendeu com os erros que ele cometeu no seu início de carreira e é o Grosjean que está por trás deste grande sucesso da novata Haas

  2. Contos da F1 no GP da Inglaterra 2017 eu sugiro o Nico Hulkenberg da Renault que corridaça fez o Alemão Na largada viu o companheiro Jolyon Palmer abandonar logo na volta de apresentação com problema hidráulico do seu Carro, mas o Nico não se intimidou chegou até ultrapassar o Vettel nas primeiras voltas e durante boa parte da corrida o Nico estava em 4 lugar graças a uma estratégia ousada do alemão e da Renault e no fim quase foi pro pódio e terminou em 6 lugar na frente do azarado Vettel Que grande piloto esse Nico Hulkenberg

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s