Japão-2016: Pérez arranca sétimo lugar em Suzuka

Pérez, à frente de  Kimi Raikkonen (Ferrari): seis pontos deixam mexicano na cola de Valtteri Bottas no Mundial

Pérez, à frente de Kimi Raikkonen: seis pontos deixam mexicano na cola de Valtteri Bottas no Mundial

Sergio Pérez (Force India) deu um importante passo rumo ao sétimo lugar do Mundial de 2016 em Suzuka, palco do GP do Japão deste ano. Ao terminar no top 7 em solo nipônico, o mexicano ficou a um ponto de Valtteri Bottas (Williams), atual sétimo colocado na temporada. Décimo na corrida japonesa, o finlandês alcançou 81 pontos, contra 80 do asteca. A quatro etapas do término da temporada, e diante do ascendente momento da escuderia indiana – e da queda da equipe britânica –, tudo leva a crer que Checo terminará o ano atrás somente dos pilotos da Mercedes, Red Bull e Ferrari na tabela de classificação. Não só isso: graças à liderança do latino, a Force India já colocou 10 pontos de vantagem sobre a Williams, na disputa pelo quarto lugar do Mundial de Construtores: após Suzuka, o time de Vijay Mallya possui 134 pontos, contra 124 do grupo de Frank Williams.

A etapa japonesa testemunharia mais um bom momento do time indiano em 2016. Desde o início dos treinos livres, na sexta-feira, Pérez e Nico Hulkenberg colocaram a Force India entre os 10 primeiros colocados. Sergio anotou um bom sexto tempo, com 1m33s570. O mexicano ficou 0s303 à frente de Nico, sétimo com 1m33s873. Por outro lado, o tempo do latino foi 1s320 inferior ao anotado por Nico Rosberg (Mercedes), o mais veloz do dia, com 1m32s250. “Está parecendo um fim de semana promissor baseado em nossa performance de hoje (sexta). É claro, as condições da pista estavam muito boas, e nunca se sabe o que o restante do fim de semana trará, mas tudo funcionou bem. Parecemos competitivos em ambas as condições – tanque cheio e vazio – e com todos os compostos de pneus. O acerto do carro estava ótimo desde o começo do dia e não alteramos muita coisa”, analisou Checo.

No sábado, Pérez anotou um excelente sexto lugar: com a punição a Vettel, Checo largaria em quinto

No sábado, Pérez anotou um excelente sexto lugar: com a punição a Vettel, Checo largaria em quinto

O bom equilíbrio do VJM09 em Suzuka ficou evidenciado no sábado, dia da qualificação para o GP do Japão. Pérez e Hulkenberg andaram forte e colocaram a Force India no Q3. No fim, Sergio anotou 1m31s961. Foi o mesmo tempo de Romain Grosjean (Haas), mas o mexicano levou vantagem sobre o francês por ter feito a volta primeiro. Checo foi o sexto mais veloz do Q3, ficando 0s181 à frente de Hulk, oitavo com 1m32s142. O latino ficou a 1s314 de Nico Rosberg (Mercedes), pole com 1m30s647. Não bastasse o ótimo desempenho, Pérez ainda herdaria uma posição: Sebastian Vettel (Ferrari), terceiro no Q3, foi punido com a perda de três posições no grid por ter sido considerado culpado pelo acidente com Rosberg na largada do GP da Malásia, em Sepang. Assim, Sergio alinharia em quinto na etapa nipônica, deixando o mexicano extremamente satisfeito.

“Foi uma classificação intensa e havia muitos carros competitivos na pista – eu inclusive terminei com o mesmo tempo de Romain (Grosjean) e tive a sorte de me classificar à frente dele. Estou bastante feliz com nossa performance, principalmente minha volta na Q3: as diferenças ao nosso redor são mínimas, e o menor erro faz a diferença entre largar em sétimo ou 12º. Hoje (sábado) fizemos um trabalho realmente bom como equipe. Largar uma posição à frente de onde nos classificamos por causa da punição de Vettel nos deixa em uma situação forte para obter um bom resultado amanhã (domingo). Se tivermos uma corrida normal, sem circunstâncias estranhas, podemos pensar em pontos importantes. A estratégia dependerá das condições do tempo, principalmente se estiver bem mais frio do que hoje (sábado). Em geral, me sinto otimista: fizemos 70% do trabalho, mas o mais importante são os 30% restantes da corrida”, observou Checo.

Largada do GP do Japão de 2016: Hamilton patina, atrapalha Ricciardo e beneficia Pérez, que saltou para terceiro

Largada em Suzuka: Hamilton patinou, atrapalhou Ricciardo e beneficiou Pérez, que subiu para 3º

A corrida

Apesar do tempo carrancudo, a chuva passou longe de Suzuka no domingo, 9 de outubro. Alinhado na quinta posição, Pérez contava com uma boa largada para assegurar os pontos que a Force India tanto precisava no duelo contra a Williams. Porém, um sinal de alerta foi aceso quando muita fumaça saía de seu VJM09. Quando as luzes vermelhas se apagaram, nenhum problema foi visto em seu bólido. Pelo contrário: Sergio disparou na busca pela Curva 1. Calçando pneus macios, o mexicano viu a péssima largada de Lewis Hamilton (Mercedes), que patinou e atrapalhou a saída de Daniel Ricciardo (Red Bull). Dessa forma, Checo assumiu o terceiro lugar, atrás somente de Nico Rosberg (Mercedes) e Max Verstappen (Red Bull). Era bom demais para ser verdade. Será que Pérez teria condição de segurar Ferrari, Red Bull e Mercedes? A resposta viria logo, e acabaria com o otimismo da Force India…

Logo na volta 3, Sergio foi superado por Sebastian Vettel (Ferrari), caindo para quarto. O mexicano bem que tentou, mas não foi páreo para o alemão na reta dos boxes. A partir daí, Checo começou a ser perseguido por Ricciardo. Desta vez, o latino foi combativo, e conseguiu barrar o avanço do australiano em Suzuka. Diante disso, a Red Bull antecipou a parada de Daniel. Na volta 10, Ricciardo fez sua parada. Com isso, Kimi Raikkonen (Ferrari) passou a ser o principal perseguidor de Pérez. Com o desgaste dos pneus macios, Sergio viu a aproximação de Hamilton. Na volta 13, tanto Checo quanto Raikkonen foram para os boxes. Na troca, a Force India sacou os macios e colocou os compostos duros (os mais duráveis do fim de semana). No retorno, o latino ainda saiu à frente do finlandês. Porém, Kimi aproveitou o momento para superar Sergio na pista.

Pérez bem que tentou conservar terceiro lugar, mas Vettel foi para cima do mexicano

Pérez bem que tentou conservar terceiro lugar, mas Vettel foi para cima do mexicano

Na volta 14, Pérez ocupava o nono lugar. Estava atrás de Raikkonen, mas à frente de Hulkenberg. Com uma tática diferente, Felipe Massa (Williams) e Valtteri Bottas (Williams) tentavam ganhar posições. Porém, o desempenho da dupla do time britânico era sofrível, o que os tornou presas fáceis para Sergio. Na volta 17, Sergio ignorou Massa, assumindo o oitavo lugar. Duas voltas depois, foi a vez do mexicano superar o finlandês, alcançando a sétima posição. Naquele momento, Pérez tinha ciência de que a estratégia funcionou para Raikkonen, Ricciardo e Hamilton. A quarta posição antes da primeira parada havia se tornado a sétima. Mas não havia do que se queixar: o equipamento da Force India era inferior ao das adversárias. Com isso, o foco de Checo passou a ser duelar com Hulkenberg pelo sétimo lugar.

Apesar da aproximação de Hulk, Pérez se segurava no top 7. A posição seria discutida na base da estratégia, uma vez que ambos realizariam uma segunda e definitiva parada. Na volta 28, o alemão fez seu pit stop e voltou atrás de Romain Grosjean (Haas), na nona posição. Na passagem seguinte, foi a vez do mexicano ir para os boxes. Na troca, a Force India sacou os pneus duros e colocou os médios. Com isso, Pérez retornou à pista ainda em sétimo, à frente de Grosjean e Hulkenberg. Com a parada do francês, na volta 30, Nico recuperou o oitavo lugar. Assim, voltou a tirar diferença na disputa com Pérez. Entretanto, não havia como tirar a sétima posição do latino. Sergio completou as 53 voltas do GP do Japão com apenas 1s7 de vantagem sobre Hulkenberg, assegurando mais um top 7 em 2016.

No fim, Checo foi pressionado por Hulkenberg, mas conseguiu manter o sétimo lugar

No fim, Checo foi pressionado por Hulkenberg, mas conseguiu manter o sétimo lugar

A vitória em Suzuka foi de Rosberg – a 23ª do germânico, igualando Nelson Piquet e se consolidando na liderança do Mundial, com 33 pontos de vantagem sobre Hamilton. Lewis terminou em terceiro, após perder a batalha contra Verstappen, que alcançou a segunda posição. Pódio à parte, Pérez celebrou a conquista dos seis pontos em solo nipônico. “Eu me diverti hoje (domingo) e sinto que tomei todas as decisões corretas durante a corrida. A largada foi divertida – tive pista limpa até a Curva 1 e subi para terceiro. Tentei ao máximo segurar a posição, mas sabia que seria difícil manter alguns carros muito velozes atrás de mim, então tive de ser sensato e escolher minhas batalhas. Nosso carro estava bastante veloz, e a estratégia de duas paradas definitivamente foi certa para nós. Nos obrigou a passar os carros da Williams na pista, porque eles tinham uma estratégia diferente, mas, felizmente, consegui executar as manobras rapidamente”.

Force India ficou bem na foto em Suzuka: com os pontos de Pérez e Hulk, time abriu 10 pontos sobre a Williams

Force India ficou bem na foto: com os pontos de Suzuka, time abriu 10 pontos sobre a Williams

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Force India, Haas, Japão, Nico Hulkenberg, Romain Grosjean, Sergio Pérez, Suzuka, Vijay Mallya. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s