Abu Dhabi-2015: 5º lugar coroa melhor temporada de Pérez

Sergio Pérez, à frente de Nico Hulkenberg: mexicano venceu duelo interno da Force India em 2015

Sergio Pérez, à frente de Nico Hulkenberg: mexicano venceu duelo interno da Force India em 2015

Sergio Pérez (Force India) estava satisfeito ao cruzar a linha de chegada do GP de Abu Dhabi de 2015, disputado no último dia 29 de novembro. Ao terminar em quinto lugar em Yas Marina, o mexicano deu números finais a uma temporada consistente. Com os 10 pontos obtidos no Oriente Médio, Checo assegurou o nono lugar no Mundial de Pilotos, sendo superado somente pelos pilotos das quatro principais equipes do ano – Mercedes, Ferrari, Williams e Red Bull. Foi a melhor classificação do asteca num campeonato desde sua estreia, em 2011. Não só isso: Pérez derrotou com sobras o talentoso alemão Nico Hulkenberg, seu companheiro na escuderia indiana. Sergio finalizou 2015 com 78 pontos, contra 58 de Nico – que foi o sétimo na derradeira corrida do ano. Com a categórica vitória sobre Hulk, Checo ganhou não só mais admiração da equipe de Vijay Mallya, como também reconquistou respeito do ‘circo’ da Fórmula 1 – algo que havia perdido após conturbada passagem pela McLaren, em 2013.

Apesar de já ter ratificado o quinto lugar no Mundial de Construtores na etapa anterior, no GP do Brasil, em Interlagos, a Force India mostrou grande forma em Yas Marina, o que possibilitou as sólidas performances de Pérez e Hulkenberg. Tanto o mexicano quanto o alemão demonstraram potencial no circuito do Oriente Médio, muito graças ao bom equilíbrio do repaginado VJM08. Durante o fim de semana, Sergio e Nico andaram na frente das duplas da Red Bull e Williams, sendo superados apenas pelos pilotos de Mercedes e Ferrari. Assim, o time indiano foi a terceira força do fim de semana, trazendo ótimas perspectivas para a próxima temporada.

Checo esbanjou otimismo em Yas Marina: bom desempenho do VJM08 colocou o mexicano entre os primeiros lugares

Checo esbanjou otimismo em Yas Marina: mexicano só foi superado por Mercedes e Ferrari

Logo na sexta-feira, Pérez e Hulkenberg se colocaram entre os mais velozes em Abu Dhabi. Após as duas sessões livres, Sergio ficou com uma expressiva terceira colocação, atrás apenas da dupla da Mercedes – Nico Rosberg e Lewis Hamilton. O mexicano anotou 1m42s610, ficando a 0s627 de Rosberg, o melhor do dia com 1m41s983. O tempo de Checo foi 0s318 mais veloz que o de Hulkenberg, oitavo com 1m42s928. “Hoje (sexta) foi um bom começo para o nosso fim de semana de corrida. Me senti confortável no carro desde o início, e as mudanças que fizemos funcionaram bem. A linha de ajuste básico que trabalhamos já está muito boa, por isso estamos em boa forma para amanhã (sábado)”, afirmou Pérez.

O otimismo de sexta surtiu resultado nas sessões qualificatórias de sábado. Checo voou com seu VJM08, estando sempre no mesmo ritmo dos ferraristas Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen. Como Vettel surpreendentemente caiu no Q1, Pérez passou a duelar com Raikkonen pelo terceiro lugar no grid. No fim, Kimi levou a melhor por 0s133, conquistando a terceira posição lugar com 1m41s051, contra 1m41s184 de Sergio, quarto colocado. Em contrapartida, o mexicano foi 0s502 mais rápido que Hulkenberg, sétimo com 1m41s686. A pole em Yas Marina ficou com Rosberg, que marcou 1m40s237 – 0s947 à frente de Pérez.

No sábado, Pérez travou uma disputa à parte contra Raikkonen: no fim, 4º lugar no grid

No sábado, Pérez travou uma disputa à parte contra Raikkonen: no fim, 4º lugar no grid

“(O quarto lugar) foi um ótimo resultado para nós, e estou muito satisfeito com nossa performance ao longo da classificação. Tomamos boas decisões com relação às mudanças que fizemos no carro. Acho que a análise que realizamos após o fim de semana em Interlagos realmente deu resultado, aprendemos muito. Todas as minhas voltas foram limpas e precisas, e conseguimos extrair o máximo do carro. Amanhã (domingo), o desafio será manter alguns carros velozes atrás de mim, mas também creio que temos uma boa chance de ganhar posições na largada. Tenho confiança no carro para forçar ao máximo e com certeza existe o potencial para sair com um ótimo resultado”, analisou Checo.

Largada do GP de Abu Dhabi de 2015: encaixotado atrás de Hamilton, Pérez segurou o quarto lugar

Largada do GP de Abu Dhabi de 2015: encaixotado atrás de Hamilton, Pérez segurou o 4º lugar

A corrida

Com os primeiros colocados do grid largando com pneus supermacios, a expectativa para o GP de Abu Dhabi de 2015 era a de que muitas idas aos boxes ocorreriam até a volta 10, devido à baixa durabilidade dos compostos. Assim, acelerar desde o início era fundamental para os pilotos que alinharam para a disputa em Yas Marina. Ao anoitecer, 20 pilotos dispararam rumo à primeira curva do moderno circuito. Pérez partiu com ação. Todavia, teve que se conter após a fechada de Lewis Hamilton (Mercedes), segundo no grid. Assim, acabou perdendo a possibilidade de ultrapassar o tricampeão e Kimi Raikkonen (Ferrari), mantendo-se na quarta posição.

Checo bem que tentou andar próximo de Raikkonen no duelo pelo terceiro lugar. Todavia, o finlandês abriu frente. Os pneus supermacios se desgastaram rapidamente, e Pérez foi obrigado a ir aos boxes na volta 6. Na troca, a Force India colocou pneus macios, mais resistentes. No retorno à pista, Sergio se viu em 13º. Com as paradas de Nico Hulkenberg (Force India), Daniel Ricciardo (Red Bull), Felipe Massa (Williams) e Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso), na passagem seguinte, o mexicano alcançou o nono lugar. Na volta 8, Valtteri Bottas (Williams), Max Verstappen (Toro Rosso) e Jenson Button (McLaren) realizaram seus pit stops, fazendo com que o latino da Force India subisse para o sexto lugar.

Depois da primeira parada, Pérez se viu atrás de Grosjean e Vettel: francês foi presa fácil, mas o alemão...

Depois da 1ª parada, Pérez se viu atrás de Grosjean e Vettel: francês foi presa fácil, mas o alemão…

A partir daquele momento, pilotos que largaram com pneus macios, cujo primeiro trecho de corrida seria mais longo, passaram a ganhar destaque na prova. O cenário era preocupante para Pérez. Para retomar o quarto lugar, Checo precisava superar Romain Grosjean (Lotus) e Sebastian Vettel (Ferrari). Ultrapassar o francês não foi tarefa das mais difíceis – na volta 12, Sergio ignorou Grosjean, assumindo o quinto lugar. Entretanto, a estratégia de Vettel, somada ao melhor equilíbrio da Ferrari, tornaria a recuperação da quarta posição uma missão quase impossível para o mexicano.

Após a primeira parada de Vettel, na volta 24, Pérez reassumiu a quarta posição. Contudo, ficaria ali por pouco tempo. Na volta 27, Sergio voltou aos boxes para colocar novos pneus macios. Com esse pit stop, o mexicano não retornaria mais aos boxes. Ao voltar à pista, Checo estava em quinto, atrás de Sebastian. Com a segunda e definitiva parada do alemão da Ferrari, na volta 40, o latino recuperou o quarto lugar. Porém, Vettel calçava pneus supermacios, e partiria com tudo para cima do mexicano. Na volta 45, a 10 do final, o tetracampeão alcançou Pérez, que nada pôde fazer, caindo para quinto.

No sábado, Pérez travou uma disputa à parte contra Raikkonen: no fim, 4º lugar no grid

Após perder quarto lugar para Vettel, Checo passou a se defender de Ricciardo: no fim, mais um top 5

Como Vettel voava em Yas Marina, as atenções de Sergio se voltaram à manutenção do top 5. No fim, Ricciardo se aproximou perigosamente, mas o australiano não foi capaz de tomar a quinta colocação do latino. A vitória em Abu Dhabi ficou com Nico Rosberg (Mercedes), seguido por Hamilton e Raikkonen. Todavia, o quinto lugar foi celebrado como se fosse um triunfo para Pérez. “É ótimo terminar a temporada com uma performance forte. Nós forçamos bastante para tentar bater Vettel, mas ele estava rápido demais com os supermacios e foi impossível segurá-lo. Forcei ao máximo na tentativa de me manter em quarto, o que exigiu muito dos meus pneus e permitiu que Ricciardo se aproximasse no final da prova. Felizmente, consegui segurá-lo”, concluiu o mexicano.

O mexicano celebrou o fato de a Force India ter evoluído até o fim da temporada de 2015

O mexicano celebrou o fato de a Force India ter evoluído até o fim da temporada de 2015

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Abu Dhabi, Force India, Nico Hulkenberg, Sergio Pérez, Vijay Mallya, Yas Marina. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s