Japão-2015: Hulk afasta maré de azar e é sexto em Suzuka

Nico Hulkenberg (Force India) ignorou punição dada por acidente em Marina Bay e foi ao top 6 em Suzuka

Nico Hulkenberg ignorou punição dada por acidente em Marina Bay e foi ao top 6 em Suzuka

Quando desembarcou em Suzuka, palco do GP do Japão de 2015, Nico Hulkenberg vivia momento conturbado na temporada. Além de ter sido superado pelo seu companheiro na Force India, Sergio Pérez, nas três últimas etapas do Mundial – Bélgica, Itália e Cingapura -, o alemão foi punido com a perda de três posições no grid da corrida nipônica por ter se envolvido em um acidente com Felipe Massa (Williams) na última prova, em Marina Bay. Diante do cenário difícil, restava a Hulk acelerar em solo japonês. E foi o que ele fez: demonstrando estar em plena forma, Nico conduziu seu VJM08 ao sexto lugar no Japão.

Os oito pontos obtidos em Suzuka colocaram Hulkenberg na 11ª posição do Mundial, com 38 pontos. O germânico reduziu para um ponto a diferença entre ele e Pérez na classificação – o mexicano, que não pontuou no Japão, se manteve com 39. Não só isso: Hulk ajudou a Force India a continuar na quinta colocação entre os Construtores. Apesar de Romain Grosjean ter sido sétimo, e Pastor Maldonado, o oitavo, a Lotus tirou apenas dois pontos da vantagem do time indiano – agora, a equipe de Vijay Mallya tem 77 pontos, contra 60 da adversária negra e dourada.

Após um dia perdido de treinos, devido à forte chuva,

A chuva intensa que caiu sobre Suzuka na sexta-feira prejudicou o trabalho de Hulk e da Force India

Apesar dos pontos obtidos no Japão, as esperanças de Hulkenberg e da Force India pareciam se esvair em água quando os bólidos foram para a pista. Explica-se: na sexta-feira, uma chuva incessante impediu que carros e pilotos pudessem desenvolver seus acertos em Suzuka. Poucas voltas foram dadas no circuito nipônico. Ao fim do dia, Hulk obteve o 11º tempo, com 1m51s674, 0s396 à frente de Pérez, 14º com 1m52s070. O alemão ficou a 3s397 de Daniil Kvyat (Red Bull), o melhor do dia com 1m48s277.

“Não aprendemos muito hoje (sexta). Naturalmente, se estivar seco no sábado e domingo, o trabalho que fizemos não vai ser particularmente útil. É a mesma situação para todos, porque não temos informação sobre o pneu para seco que precisamos para o fim de semana. No entanto, já rodamos nos compostos duros e médios em outras corridas e temos uma boa compreensão desses pneus. Se o tempo não melhorar amanhã (sábado), correremos um pouco mais do que o habitual no terceiro treino livre para tentar compensar a falta de quilometragem”, avaliou Nico.

Apesar dos esforços, Nico não conseguiu alcançar o Q3 em Suzuka, no sábado:

Apesar dos esforços, Nico não conseguiu alcançar o Q3 em Suzuka, no sábado: 13ª posição no grid

Para celebração do ‘circo’, o tempo melhorou em Suzuka no sábado, e os pilotos puderam pisar fundo no treino qualificatório. Porém, Hulkenberg esperava desempenho superior na sessão que definiu o grid do GP do Japão. O alemão caiu no Q2, ficando com o 11º tempo, com 1m34s390. Em contrapartida, Pérez alcançou a fase decisiva da classificação. Todavia, o mexicano não anotou tempo no Q3, uma vez que o fortíssimo acidente com Daniil Kvyat (Red Bull) interrompeu a sessão. Assim, Checo ficou com o nono lugar no grid. A pole na prova nipônica ficou com Nico Rosberg (Mercedes), com 1m32s584 – 1s806 mais veloz que Hulk, que, com a punição, sairia em 14º no domingo. Todavia, como Kvyat destruiu seu bólido e acabou sendo obrigado a sair dos boxes, Nico ficou com a 13ª posição no grid.

“Claro que é decepcionante ficar de fora da Q3, mas não posso reclamar muito da nossa performance hoje (sábado). Acho que a minha volta de classificação foi muito boa e senti que estava forçando o carro ao limite: infelizmente, não foi suficiente, mas sei que demos o nosso melhor. É difícil saber o que podemos esperar na corrida de amanhã (domingo): a batalha no pelotão intermediário está muito acirrada e todos ao meu redor irão dificultar minha chegada à zona de pontos. Eu esperava me classificar um pouco mais à frente para compensar minha punição, principalmente porque aqui não é um lugar dos mais fáceis para ultrapassar”, disse o germânico da Force India após a sessão classificatória.

Hulkenberg realizou bela largada em Suzuka, saltando de 13º para oitavo em uma volta

Hulkenberg realizou bela largada em Suzuka, saltando de 13º para oitavo em uma volta

A corrida

Ao alinhar na 13ª colocação no grid do GP do Japão na ensolarada tarde daquele domingo, 27 de setembro de 2015, Hulkenberg esperava fazer seu melhor para ingressar no top 10 de Suzuka. Entretanto, a missão de Nico se cumpriu nos primeiros metros da prova. Quando as luzes vermelhas se apagaram, Felipe Massa (Williams) e Daniel Ricciardo (Red Bull) se tocaram, e ambos tiveram pneus furados. O incidente prejudicou Sergio Pérez (Force India), que escapou da pista e caiu para o fim do pelotão. Hulk se aproveitou da confusão para ultrapassar os espanhóis Fernando Alonso (McLaren) e Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso) para assumir a oitava colocação.

A partir dali, Nico se consolidou na corrida, andando no ritmo imposto pela dupla da Lotus, Romain Grosjean e Pastor Maldonado. Apenas as paradas de boxes poderiam alterar o cenário. O germânico da Force India, inclusive, foi um dos primeiros a realizar o pit stop, na volta 11. Na troca, o time indiano colocou os pneus duros no lugar dos médios. No retorno à pista, Hulk estava em 10º. A estratégia de antecipar a parada provou ter sido bem-sucedida quando Grosjean e Maldonado fizeram seus pits. Com a ida aos boxes de Romain, na volta 12, e de Pastor, na 13, Nico acabou ganhando as posições da dupla. Ainda na volta 13, superou Marcus Ericsson, fazendo com que subisse para o sétimo lugar.

Na volta 13, Nico superou Marcus Ericsson (Sauber). Atrás dos dois, a dupla da Lotus: tática eficiente

Na volta 13, Nico superou Marcus Ericsson (Sauber). Atrás dos dois, a dupla da Lotus: tática eficiente

Após a parada de Sainz Jr., na volta 15, Hulkenberg assumiu a sexta colocação. O que viesse a partir daquele momento seria lucro, uma vez que, à sua frente, estavam Lewis Hamilton e Nico Rosberg, da Mercedes; Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, da Ferrari; e Valtteri Bottas, da Williams – todos com equipamento superior ao do alemão. Quando Raikkonen realizou seu segundo pit stop, na volta 29, Nico subiu para quinto. Na passagem seguinte, foi a vez de Bottas fazer sua segunda parada, fazendo com que Hulk assumisse momentaneamente o quarto lugar.

Na 31, a Force India chamou Hulkenberg para o segundo e definitivo pit stop. Desta vez, o time indiano optou por colocar novos pneus duros. No retorno à pista, o germânico estava em oitavo. Novamente, se via atrás da dupla da Lotus. Porém, Grosjean e Maldonado ainda precisariam realizar uma nova parada. Na volta 34, Romain foi aos boxes, e Nico reassumiu a sétima colocação. Três voltas depois, Pastor se encaminhou ao pit, fazendo com que Hulk retomasse o sexto lugar para não mais perdê-lo. A vitória em Suzuka foi de Hamilton – a 41ª da carreira, igualando Ayrton Senna -, seguido por Rosberg e Vettel.

Em sexto, o alemão da Force India só precisou administrar seu equipamento para levar os oito pontos para casa

Em sexto, o alemão da Force India só precisou administrar seu VJM08 para assegurar os oito pontos

Após o término da corrida japonesa, Hulkenberg celebrou a conquista do resultado. “De maneira realista, o sexto lugar era o máximo que poderíamos obter, quando lembramos que larguei em 13º. Fiz uma largada muito boa, passando alguns carros imediatamente. Depois, fiquei por dentro na curva 1, o que acabou sendo uma boa decisão. Na curva 2, eu já estava em oitavo, bem perto dos pilotos da Lotus, e na verdade eles me seguraram durante o primeiro trecho. A equipe me chamou mais cedo para tentar superá-los e, então, nós os deixamos para trás. Foi uma prova solitária para mim, mas eficiente, e o resultado é bem-vindo. A equipe fez um ótimo trabalho e acho que merecemos esses oito pontos”.

Resultado de Suzuka colocou Hulk a um ponto de Sergio Pérez, e manteve a Force India em 5º nos Construtores

Resultado de Suzuka deixou Hulk a 1 ponto de Pérez, e manteve a Force India em 5º nos Construtores

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Carlos Sainz Jr., Force India, Japão, Nico Hulkenberg, Sergio Pérez, Suzuka, Toro Rosso, Vijay Mallya. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s