Áustria-2015: inspirado após Le Mans, Hulk alcança sexto lugar

Nico Hulkenberg (Force India) vendeu caro sua posição para Valtteri Bottas (Williams):  sexto lugar em Spielberg coroa mês marcante

Nico Hulkenberg vendeu caro sua posição para Valtteri Bottas: sexto lugar em Spielberg coroa mês marcante

O mês de junho de 2015 pode ser considerado marcante na carreira de Nico Hulkenberg. Após recuperar a motivação em Montreal, onde assegurou o oitavo lugar no GP do Canadá, no último dia 7, o piloto da Force India experimentou pela primeira vez o desafio de correr na mais tradicional prova do endurance mundial – as 24 Horas de Le Mans, na França. Ao lado do neozelandês Nick Tandy e do inglês Earl Bamber, o alemão levou a Porsche ao triunfo. Foi a primeira conquista de Nico em Le Mans, e o primeiro piloto de Fórmula 1 a vencer a competição desde Johnny Herbert e Bertrand Gachot, em 1991. Assediado após a vitória, Hulk desembarcou inspirado em Spielberg, palco do GP da Áustria. Com o bólido da escuderia indiana, o germânico pisou fundo e garantiu o sexto lugar em solo austríaco. Foi o melhor resultado de Hulkenberg e da Force India desde o GP de Abu Dhabi de 2014, em Yas Marina – onde também terminou em sexto.

A boa adaptação do VJM08 ao circuito austríaco, somada à força do motor Mercedes, ajudaram no bom desempenho do time de Vijay Mallya. Entretanto, a empolgação de Nico por Le Mans certamente influenciou na obtenção dos oito pontos. Ao chegar na Áustria, o alemão foi bastante assediado pela imprensa especializada. Tanto que a FIA resolveu colocá-lo na entrevista coletiva dos pilotos na quinta-feira, em Spielberg. Posicionado na posição central do cenário, Nico destacou o feito obtido na França. “Foi fantástico, obviamente. Foi um fim de semana longo e intenso. Eu voei de Montreal a Paris e depois direto para Le Mans. Chegar lá e vencer na primeira tentativa, junto com a Porsche e os companheiros, foi simplesmente incrível. São momentos muito emocionantes. Foi uma grande experiência. Estou muito orgulhoso do que alcançamos lá”.

Com, seus parceiros na Porsche, Nico triunfou em Le Mans: vitória histórica

Com Earl Bamber e Nick Tandy, seus parceiros na Porsche, Nico triunfou em Le Mans: vitória histórica

Porém, Le Mans havia virado história para Hulkenberg. A partir daquele momento, o foco era na Force India e na corrida austríaca. Quando foi para a pista, na sexta-feira, Nico parecia à vontade com seu bólido. O VJM08 demonstrava equilíbrio, o que deixou otimista o germânico. No fim do dia, Hulk assinalou o sexto melhor tempo, com 1m10s160, a 0s560 de Sebastian Vettel (Ferrari), o melhor com 1m09s600. “Foi uma sexta-feira tranquila, especialmente porque a chuva que todos esperavam não veio. Estou satisfeito com o ritmo nos long-runs, apesar de eu ainda não ter qualquer referência dos nossos rivais. Esta é uma pista curta, então os intervalos serão menores na classificação – um ou dois décimos podem fazer a diferença de três ou quatro posições”, analisou o campeão de Le Mans.

No sábado, a Force India continuou em forma. Para a sessão classificatória, tanto Hulkenberg quanto seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, esperavam avançar para a última fase do treino. Contudo, o mexicano foi surpreendido com a pista úmida e caiu no Q1. Já o alemão seguiu até o Q3. Na parte decisiva da classificação, Nico anotou 1m09s278, o que lhe rendeu uma impressionante quinta posição, a 0s823 de Lewis Hamilton (Mercedes), pole em Spielberg. Além de Hamilton, Hulk só foi superado por Nico Rosberg (Mercedes), Sebastian Vettel (Ferrari) e Felipe Massa (Williams). Além disso, obteve seu melhor grid desde o GP da Inglaterra de 2014, em Silverstone – onde foi quarto.

Nos treinos de sábado, Hulkenberg conquistou um impressionante quinto lugar no grid: Force India surpreendeu na Áustria

No sábado, Hulkenberg conquistou um impressionante 5º lugar no grid: Force India surpreendeu na Áustria

Após o treino, o alemão da Force India confidenciou ter ficado surpreso com a quinta colocação. “É uma ótima posição de largada para amanhã (domingo). Até aqui, me senti realmente confortável e feliz no carro. Esperávamos um top 10, mas ser quinto é uma surpresa muito positiva. Batemos a Williams, o que é um pequeno milagre, eu acho”, declarou Hulkenberg, referindo-se a Valtteri Bottas, sexto no grid com 1m09319 – a 0s041 de Nico. Para o GP da Áustria, Nico estava consciente de que seria quase impossível segurar o ritmo de Bottas e da Williams. “Será uma corrida complicada, obviamente seremos pressionados. Eu acho que a Williams é um pouco rápida demais para o nosso ritmo, e as Toro Rosso e as Lotus vão nos atacar”, analisou.

Na largada do GP da Áustria, Hulk se manteve em quinto lugar: acidente na volta 1 provocou a entrada do safety car

Na largada, Hulk se manteve em quinto: acidente na volta 1 provocou a entrada do safety car

A corrida

O clima era instável e ameno em Spielberg no domingo, 21 de junho, para a disputa do GP da Áustria de 2015. Apesar disso, em nenhum momento a ameaça de chuva se tornou real. Dessa forma, 20 pilotos partiram para a largada. Hulkenberg saltou bem ao apagar das luzes vermelhas, mantendo-se em quinto, à frente de Valtteri Bottas (Williams). O finlandês largou mal, e perdeu a sexta colocação para Max Verstappen (Toro Rosso). No decorrer da volta 1, um acidente envolvendo Kimi Raikkonen (Ferrari) e Fernando Alonso (McLaren) fez com que a bandeira amarela fosse agitada por todo o circuito. Com o safety car, Nico pôde se manter próximo de Felipe Massa (Williams), o quarto. Porém, quando a relargada foi dada, na volta 7, o alemão não conseguiu acompanhar o brasileiro. Em contrapartida, prosseguiu à frente de Verstappen.

Na volta 15, Max não resistiu ao ataque de Bottas. Com melhor equipamento, o novato não foi páreo para o finlandês, que assumiu o sexto lugar. A próxima vítima de Valtteri seria Hulk. Com o passar do tempo, os pneus supermacios que calçavam o Force India do germânico começou a dar sinais de desgaste, permitindo a aproximação de Bottas. Apesar do esforço de Hulkenberg, a Williams era superior e, na volta 25, o finlandês superou o alemão, que caiu para sexto. Na passagem seguinte, Nico foi para seu primeiro e único pit stop em Spielberg. No retorno à pista, já com os compostos macios, o germânico se viu em nono. Na volta 27, com as paradas de Bottas e Verstappen, Hulk assumiu o sétimo lugar.

Com o desgaste dos pneus supermacios, rendimento de Nico despencou, fazendo com que Bottas o ultrapassasse

Após parar nos boxes, Nico calçou pneus macios: depois do pit stop, alemão voltou a ficar à frente de Bottas

Entretanto, ao sair dos boxes, Valtteri estava colado em Nico. A pressão do finlandês sobre o alemão novamente foi iniciada. Na volta 35, Bottas ignorou Hulkenberg, tomando-lhe a sétima colocação. Nico ainda esboçou uma reação, mas seria em vão se arriscar contra o adversário da Williams. Apesar de ter sido superado, sua posição não era definitiva, uma vez que Pastor Maldonado (Lotus) e Sergio Pérez (Force India) não haviam realizado suas paradas. Com o pit stop do venezuelano, na volta 37, e o do mexicano, na 38, Hulk recuperou a sexta colocação. A partir daí, foi administrar a vantagem sobre Maldonado, o sétimo, e Verstappen, o oitavo, para assegurar oito pontos em Spielberg.

A vitória no GP da Áustria foi de Nico Rosberg (Mercedes), seguido por Lewis Hamilton (Mercedes) e Felipe Massa (Williams). Entretanto, a sexta posição deixou Hulkenberg satisfeito. Também pudera: era seu melhor resultado nas oito corridas disputadas em 2015. “Estou muito satisfeito com o sexto lugar hoje (domingo). Sempre soubemos que seria difícil manter a Williams de Bottas atrás, por isso trazer o carro para casa na sexta posição provavelmente seria o máximo que poderíamos alcançar. Tive algumas boas brigas roda a roda com ele e alternamos as posições em algumas vezes, mas foi difícil igualar seu ritmo como um todo. Mas no geral, foi um grande fim de semana: encontrei um bom ritmo e fiquei muito feliz com o desempenho do carro”, concluiu o alemão.

O sexto lugar em Spielberg foi o melhor resultado de Hulkenberg desde o GP de Abu Dhabi de 2014, em Yas Marina

O sexto lugar em Spielberg foi o melhor resultado de Hulkenberg desde o GP de Abu Dhabi de 2014

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Áustria, Force India, Max Verstappen, Nico Hulkenberg, Sergio Pérez, Spielberg, Toro Rosso. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s