EUA-2013: pela primeira vez, Williams pontua com Bottas

Valtteri Bottas pisou fundo para obter o oitavo lugar no Circuito das Américas, em Austin

Valtteri Bottas pisou fundo para obter o oitavo lugar no Circuito das Américas, em Austin

Apesar de monótono, o GP dos Estados Unidos, disputado em 17 de novembro de 2013, no Circuito das Américas, em Austin, no Texas, trouxe uma grata surpresa para o top 10. Pela primeira vez na carreira, o finlandês Valtteri Bottas (Williams) terminou uma corrida na zona de pontos. Após 17 provas na temporada, o jovem de 24 anos estava ansioso pela oportunidade de figurar entre os 10 primeiros. A chance veio em solo norte-americano, graças, sobretudo, a uma boa sessão classificatória no sábado e a um rendimento excepcional durante as 56 voltas da prova de domingo, que lhe rendeu o oitavo lugar.

Os quatro pontos obtidos por Bottas foram exaltados por engenheiros e mecânicos, ainda mais diante da pífia performance do time de Frank Williams em 2013. O Fw35 é o pior carro construído pela tradicional equipe. Ao chegar em Austin, a escuderia de Grove tinha apenas um pontinho, conquistado por Pastor Maldonado, 10º lugar no GP da Hungria. Valtteri não só ignorou a má fase da Williams, como também foi superior ao venezuelano durante todo o fim de semana. Logo, um resultado veemente como o da etapa norte-americana ficará marcado para sempre na memória do finlandês.

Bottas e a namorada, a nadadora finlandesa Emilia Pikkarainen: carreira iniciou no kart

Bottas com a namorada, a nadadora finlandesa Emilia Pikkarainen: carreira iniciou no kart

Bottas nasceu em 28 de agosto de 1989, em Nastola, na Finlândia. Logo aos seis anos, corria de kart, categoria na qual obteve diversos títulos finlandeses. Aos 17 anos, Valtteri ingressou nos monopostos. Em 2007, estreou na Fórmula Renault 2.0 da Escandinávia, sendo terceiro no campeonato. No ano seguinte, conquistou o título escandinavo e europeu da categoria. Em 2009, correu na Fórmula 3 Europeia, ficando em terceiro no certame. No mesmo ano, venceu o Masters de Fórmula 3, uma das mais tradicionais provas da categoria, disputada em Zandvoort, na Holanda. No ano seguinte, voltou a ser terceiro na F3 Europeia e a triunfar em Zandvoort.

Em 2011, Bottas viveu o ano de sua afirmação no automobilismo. O finlandês venceu a GP3, categoria de acesso à GP2. À época, já chamava a atenção do mundo da Fórmula 1. Todavia, o jovem escandinavo já havia assinado um contrato com a Williams. Para 2012, Valtteri era o testador oficial da escuderia. De acordo com seu vínculo com a equipe, teve direito a treinar em 15 fins de semana, substituindo Bruno Senna nos primeiros treinos livres das sextas-feiras. E foi no lugar do sobrinho de Ayrton Senna que Bottas firmou seu lugar como piloto oficial de Fórmula 1.

Valtteri substituiu o brasileiro Bruno Senna na Williams

Valtteri substituiu o brasileiro Bruno Senna na Williams

Porém, a temporada de estreia de Valtteri tem sido complicada. Principalmente por conta do fiasco que foi o FW35. O melhor resultado de Bottas no ano havia sido obtido no GP da Malásia, em Sepang, a segunda etapa do Mundial. Por isso, ao desembarcar em Austin, as pretensões do finlandês eram modestas. Mas, logo em seu primeiro contato com o Circuito das Américas, na sexta-feira, se sentiu à vontade e superou Maldonado: foi 16º, enquanto o venezuelano foi 18º.

“Hoje (sexta-feira), a pista estava muito escorregadia pela manhã, o que pareceu se adaptar ao nosso carro, mas, conforme ela foi melhorando, começamos a ter problema com o equilíbrio. Se conseguirmos fazer tudo certo, e as condições climáticas nos ajudarem, então amanhã (sábado) e domingo poderão ser melhores para nós”, afirmou Bottas, em tom profético. Sim, parecia que adivinha o que estava por vir…

O finlandês da Williams deu show nos treinos oficiais: nono lugar no grid de Austin

O finlandês da Williams deu show nos treinos oficiais: nono lugar no grid de Austin

Nas sessões classificatórias do sábado, o finlandês da Williams brilhou. Ele foi o mais veloz no Q1 e quarto no Q2, o que o colocou pela segunda vez em 2013 na sessão decisiva, o Q3 – a primeira foi também na América do Norte, no GP do Canadá, em Montreal, quando alinhou em terceiro. No treino final, Valtteri assegurou o nono lugar no grid. Celebração pelo feito? Nada disso.

Para ser honesto, esperava um pouco mais do Q3, pois estávamos competitivos no Q1 e Q2. Estou muito contente pela equipe. Eles fizeram um ótimo trabalho e melhoramos muito o carro dos treinos para a classificação. Estamos em uma boa posição para amanhã (doming) e precisamos tentar tirar proveito disso para marcar alguns pontos na corrida”, disse Bottas, demonstrando otimismo para a etapa norte-americana.

Na largada, Bottas partiu para cima do compatriota Kovalainen e assumiu o 8º lugar

Na largada, Bottas partiu para cima do compatriota Kovalainen e assumiu o 8º lugar

A corrida

Assim que as luzes vermelhas se apagaram, Valtteri partiu para cima do compatriota Heikki Kovalainen (Lotus), que foi colocado no lugar de Kimi Raikkonen, fora de combate em Austin e Interlagos por conta de uma cirurgia nas costas. Parado desde o fim da temporada de 2012, quando defendia a Caterham, Kova despencou na classificação, e Bottas aproveitou-se para assumir o oitavo lugar. Ainda na volta 1, Esteban Gutiérrez (Sauber) tocou em Adrian Sutil (Force India), fazendo o alemão se chocar com violência. Com os destroços do Force India espalhados pela pista, o safety car foi acionado.

Depois de quatro voltas sob bandeira amarela, a relargada aconteceu. O finlandês da Williams se manteve em oitavo, sem sofrer ameaças de Paul di Resta (Force India), o nono, mas sem se aproximar de Fernando Alonso (Ferrari), o sétimo. Como o espanhol estava próximo de Sergio Pérez (McLaren), seu ritmo era determinado pelo mexicano. Bottas chegou a se aproximar do ferrarista, a ponto de estar a 1s de Alonso, mas não ameaçou Fernando.

A estratégia de uma parada foi bem-sucedida, mantendo Bottas no top 10 durante toda a prova

A estratégia de uma parada foi bem-sucedida, mantendo Bottas no top 10 durante toda a prova

Na volta 23, os pneus médios da Pirelli estavam no limite. Dessa forma, Valtteri foi aos boxes para fazer seu único pit stop. No retorno à pista, com os compostos duros, o finlandês se viu na 10ª posição. Ótimo sinal, já que dependeria apenas de seus esforços para pontuar pela primeira vez. Na volta 27, superou Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), que estava com pneus médios deteriorados, para assumir o nono lugar. Depois, se aproximou de Gutiérrez, que sofria do mesmo problema de Vergne. Na volta 34, Bottas ultrapassou o mexicano, retomando o oitavo posto.

Com Pérez fora de alcance, a principal preocupação de Valtteri foi a de administrar a diferença que tinha em relação a Nico Rosberg (Mercedes). O alemão tinha problemas para aquecer os pneus Pirelli em Austin, o que facilitou a vida de Bottas. Ao fim da corrida, o finlandês tinha 4s5 de vantagem sobre Rosberg, e ganhou a bandeirada mais importante de sua breve carreira até o momento.

Com o oitavo lugar, Bottas assegurou seus quatro primeiros pontos na carreira: 323º piloto a pontuar na história

Com o 8° lugar, Bottas assegurou seus quatro primeiros pontos na carreira: 323º piloto a pontuar na história

A felicidade do jovem piloto contagiou a Williams. Valtteri estava radiante após a corrida. “Estou muito feliz por marcar meus primeiros pontos na Fórmula 1. O fim de semana inteiro foi muito bom, do acerto do carro nos treinos à estratégia e os pit stops na corrida. Quero dizer muito obrigado a todos na equipe e na fábrica, pois eles trabalharam duro demais e realmente merecem esse resultado”, celebrou Bottas.

Apesar da 38ª vitória de Sebastian Vettel (Red Bull), a oitava em sequência, do segundo lugar de Romain Grosjean (Lotus) e do terceiro posto de Mark Webber (Red Bull), foi lá atrás, na oitava posição, que Valtteri fez uma festa à parte. Somente na penúltima etapa do ano, o finlandês teve algo para comemorar em 2013.

Com o resultado de Bottas, o time de Frank Williams chegou a 5 pontos no Mundial de Construtores

Com o resultado de Bottas, o time de Frank Williams chegou a 5 pontos no Mundial de Construtores

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Austin, Bruno Senna, Caterham, Estados Unidos, Esteban Gutiérrez, Frank Williams, Heikki Kovalainen, Jean-Eric Vergne, Pastor Maldonado, Sauber, Toro Rosso, Valtteri Bottas, Williams. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s