Japão-2013: Esteban Gutiérrez desencanta em Suzuka

Gutiérrez segurou Rosberg no fim, assegurando o sétimo lugar e seus seis primeiros pontos na Fórmula 1

Gutiérrez segurou Rosberg no fim, assegurando o sétimo lugar e seus seis primeiros pontos na Fórmula 1

Um piloto de Fórmula 1 nunca esquece a primeira vez que pontua. Nunca. Seja ele um gênio das pistas ou um dedicado mortal, figurar na zona de pontos significa que ele andou entre os primeiros. A sensação é de satisfação. Em 13 de outubro de 2013, em Suzuka, Esteban Gutiérrez pôde sentir esse gostinho. Pela primeira vez em 15 GPs, o mexicano da Sauber pontuou na carreira. Com uma apresentação constante e precisa, obteve o sétimo lugar no GP do Japão. De quebra, segurou um veloz Nico Rosberg (Mercedes) no final, ressaltando, assim, o sabor da conquista.

Após disputar 14 GPs em 2013, Gutiérrez chegou pressionado em solo japonês. Durante o ano, teve raros momentos em que flertou o top 10, casos do GP da Espanha, quando perdeu o 10º lugar para Daniel Ricciardo (Toro Rosso), e, sobretudo, do GP da Coreia do Sul, quando completou a etapa colado no compatriota Sergio Pérez (McLaren). Esteban sabia que, pela falta de resultados, seu lugar na escuderia suíça corria risco. Nem mesmo o polpudo apoio do bilionário Carlos Slim à equipe asseguraria o cockpit para 2014. Por isso, brilhar em Suzuka era preciso, principalmente após a boa apresentação em Yeongam.

Pela primeira vez, Esteban esteve em Suzuka: aprendizado na sexta-feira

Pela primeira vez, Esteban esteve em Suzuka: aprendizado na sexta-feira

Porém, havia um problema: o mexicano nunca havia pisado no autódromo japonês. Por isso, tratou de se adaptar ao seletivo traçado do desafiante circuito de Suzuka. No final, ficou no meio do pelotão. O 11º melhor tempo do dia foi um bom presságio para o fim de semana.  “Foi um desafio ir conhecer a pista, mas ela correspondeu tudo o que eu esperava. É um circuito especial, com curvas muito boas e rápidas, e eu me diverti muito pilotando aqui. É difícil de aprender e encontrar a trajetória certa. Nas curvas 8 e 9, especialmente, não há espaço para erros, do contrário você beija o muro”, destacou.

O otimismo da sexta, entretanto, se contrapôs ao conturbado sábado. Durante a sessão classificatória, seu Sauber pegou fogo enquanto estava parado nos boxes. “Quando vi, pulei fora. A equipe tinha tudo sob controle, e eu fiquei aliviado em poder continuar na classificação”, observou Gutiérrez. Porém, veio um discreto 14º lugar, caindo no Q2. Nico Hulkenberg, seu companheiro na escuderia, avançou para o Q3 e ficou em sétimo.

Fogo no carro de Gutiérrez, dentro do box da Sauber, durante o Q1: apenas um susto

Fogo no carro de Gutiérrez, dentro do box da Sauber, durante o treino de sábado: apenas um susto

“Fui apenas 0s2 mais lento que Nico no Q1. No Q2, acelerei até o limite. Nós conseguimos dar uma boa volta e agora estou otimista para domingo, já que acho que tenho um bom ritmo de corrida. Não é fácil marcar pontos, mas faremos o nosso melhor”, afirmou Esteban. Apesar das dificuldades previstas, o mexicano tinha ciência de que, durante a prova, poderia surpreender.

Em 14º no grid, Gutiérrez ganhou cinco posições na largada, terminando a volta 1 em nono

Em 14º no grid, Gutiérrez ganhou cinco posições na largada, terminando a volta 1 em nono

A surpresa latina

Foi com esse pensamento que Gutiérrez alinhou seu Sauber na posição de número 14 em Suzuka. Quando as luzes vermelhas se apagaram, Esteban saltou bem, escapou do toque entre Sebastian Vettel (Red Bull) e Lewis Hamilton (Mercedes) na Curva 1 – que jogou o inglês para o fim do pelotão – e avançou diante dos adversários. Tanto que completou a volta 1 na nona posição. Além de Lewis, o mexicano superou Valtteri Bottas (Williams), Paul di Resta (Force India), Jenson Button (McLaren) e Kimi Raikkonen (Lotus).

Gutiérrez ficou em nono até a volta 9, quando realizou seu primeiro pit stop. Depois de largar com pneus médios, optou por colocar os compostos duros. No retorno à pista, estava na 12ª posição. Com a parada dos demais pilotos, Esteban retomou o nono lugar na volta 13. Quatro voltas depois, o latino da Sauber subiu para o oitavo lugar, uma vez que Nico Rosberg (Mercedes) foi punido com um drive through após quase se chocar com Pérez no pit stop.

Apesar dos esforços, Esteban não resistiu aos ataques de Kimi Raikkonen (Lotus)

Apesar dos esforços, Esteban não resistiu aos ataques de Kimi Raikkonen (Lotus)

Na volta 20, Raikkonen superou Gutiérrez. Contudo, o mexicano não perdeu o oitavo lugar, uma vez que Daniel Ricciardo (Toro Rosso), o único com estratégia de um longo primeiro stint, só fez seu primeiro pit stop naquela passagem. Apesar de muito pressionado por Sergio Pérez (McLaren), Esteban permaneceria até a volta 30, quando fez sua segunda e definitiva troca de pneus. A Sauber optou por fazer o latino permanecer com os pneus duros. No retorno à pista, se viu mais uma vez em 12º.

Com o drive through dado a Ricciardo, na volta 33 (por cortar a pista durante uma ultrapassagem), e a Felipe Massa (Ferrari), na volta 36 (por exceder o limite de velocidade nos boxes), Gutiérrez voltou ao top 10. Duas voltas depois, com a parada de Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), Esteban era o nono. Na volta 39, com o último pit stop de Rosberg, Gutiérrez passou a ocupar o oitavo lugar. Na passagem seguinte, com a parada de Button, o mexicano se viu na sétima colocação.

Com estratégia de duas paradas, e com os drive through dos rivais, o mexicano ascendeu em Suzuka

Com estratégia de duas paradas, e com os drive through dos rivais, o mexicano ascendeu em Suzuka

A partir daí, o mexicano estava confortável na sétima posição. Se via distante de Raikkonen e Hulkenberg, que lutavam pelo quinto lugar, mas estava confortável com relação a Massa. Porém, o brasileiro da Ferrari caiu de produção, e cedeu o oitavo posto para Rosberg. Com pneus novos, o alemão da Mercedes partiu para cima de Esteban, que segurou com unhas e dentes sua sétima posição. A vitória em Suzuka foi de Vettel, seguido por Mark Webber (Red Bull) e Romain Grosjean (Lotus), mas Gutiérrez também se sentiu vencedor no Japão: foram os primeiros seis pontos na carreira do jovem de 22 anos.

“Finalmente, pude sentir uma grande satisfação após a corrida. Trabalhamos muito para chegar até este momento. Não foi um caminho fácil. Sabemos que podemos alcançar algo assim. Você realmente quer estar na frente, fazer o seu melhor e pressionar. Mesmo que as últimas voltas tenham sido muito difíceis, com Rosberg atrás de mim, foi, em geral, uma grande corrida. Quero agradecer à equipe, que fez um grande trabalho hoje. Também desejo muitas felicidades para Peter Sauber, em seu 70º aniversário”, disse Gutiérrez.

Peter Sauber pôde comemorar seus 70 anos com os 14 pontos de presente dados por Gutiérrez e Hulkenberg

Peter Sauber pôde comemorar seus 70 anos com os 14 pontos de presente dados por Gutiérrez e Hulkenberg

A festa na escuderia não foi só para Esteban e Peter Sauber. Com o sexto lugar de Hulkenberg e o sétimo de Gutiérrez, o time somou 14 pontos em Suzuka, consolidando-se na sétima colocação do Mundial de Construtores, com 45 pontos – exatamente 14 à frente da Toro Rosso, que tem 31. Um feito e uma reação impressionante da Sauber que, após um início de ano muito difícil, somou 38 pontos nas últimas quatro etapas – no mesmo período, a McLaren conquistou apenas 18 pontos.

Nos últimos 4 GPs - Itália, Cingapura, Coreia do Sul e Japão -, a Sauber somou mais pontos que a McLaren

Nos últimos 4 GPs – Itália, Cingapura, Coreia do Sul e Japão -, a Sauber somou mais pontos que a McLaren

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Daniel Ricciardo, Esteban Gutiérrez, Japão, Jean-Eric Vergne, Nico Hulkenberg, Sauber, Suzuka, Toro Rosso, Valtteri Bottas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s