Alemanha-2013: o sofrido pontinho de Hulkenberg em casa

Hulk segura Hamilton e Raikkonen na primeira parte do GP: ponto suado em Nurburgring

Hulk segura Hamilton e Raikkonen na primeira parte do GP: ponto suado em Nurburgring

Quando a fase não anda favorável, até um mísero ponto acaba sendo motivo para consolação. Que o diga Nico Hulkenberg. Amargando uma péssima primeira metade de temporada na Sauber após deixar a promissora Force India, o alemão conseguiu se manter no top 10 durante todo o fim de semana do GP da Alemanha, disputado no último dia 7 de julho, em Nurburgring. O 10º lugar na etapa caseira não refletiu o bom desempenho de Nico no tradicional e remodelado circuito, mas foi um alento para um piloto que encara diversos problemas diante da crise financeira deflagrada em sua escuderia.

Na semana anterior ao GP germânico, a imprensa local divulgou que Hulk não recebia salários da Sauber havia dois meses. Na entrevista coletiva organizada pela FIA em Nurburgring, na quinta-feira antes da etapa, Nico reconheceu os problemas na escuderia, mas não confirmou a informação de que o time estava em débito com ele. Problemas à parte, o alemão queria fazer um bom papel em casa. E por um motivo especial: era a primeira corrida de F1 do germânico no célebre circuito.

Nico dá uma volta a pé por Nurburgring com membros da Sauber: crise financeira afeta o time

Nico dá uma volta a pé por Nurburgring com membros da Sauber: crise financeira afeta o time

“Eu conheço muito bem Nurburgring. Desde 2005 corro por aqui e, pelo que me lembro, venci praticamente todas as corridas em que participei por categorias menores. Apesar desta ser minha terceira temporada, eu ainda não corri de F1 nesta pista, então este ano será especial. Acho que tudo acontecerá um pouco mais rápido, e verei algumas coisas de uma maneira diferente. Mas conheço bem a pista e estou ansioso para voltar ao carro”, observou Nico, sem, entretanto, traçar uma expectativa para o GP.

Na pista, Hulkenberg mostrou estar preparado para fazer um bom papel em Nurburgring. O ponto alto do alemão da Sauber no traçado foi a passagem para a fase decisiva do classificatório. No Q2, Nico superou Paul di Resta e Adrian Sutil, a dupla da Force India, sua ex-equipe, e contou com uma mãozinha do xará, Nico Rosberg (Mercedes), que não colocou seu flecha de prata no Q3. Na fase final, Hulk não saiu dos boxes, assegurando o 10º lugar no grid de largada.

“Este final de semana foi melhor do que os anteriores. Não tivemos nenhuma peça nova no carro, apenas fizemos um acerto diferente, que funcionou muito bem”, afirmou o piloto da Sauber após o treino. No domingo, 7 de julho de 2013, Hulkenberg tinha como objetivo marcar pontos. Ele tinha consciência de que havia fortes concorrentes partindo atrás dele. Todavia, o alemão queria marcar pontos novamente – fora 10º em Silverstone. Por isso, largou com pneus médios da Pirelli.

Com muito esforço, Hulkenberg colocou seu Sauber no Q3 do GP da Alemanha

Com muito esforço, Hulkenberg colocou seu Sauber no Q3 do GP da Alemanha

Na largada, foi superado por Sergio Pérez (McLaren) e caiu para o 11º lugar. Na volta 4, contou com o erro e o abandono de Felipe Massa (Ferrari) para retornar ao top 10. Com o início das paradas dos rivais que partiram com pneus macios, Nico subiu na classificação. Isso começou na volta 6, com o pit de Daniel Ricciardo (Toro Rosso). Na volta seguinte, foi a vez de Lewis Hamilton (Mercedes). Depois, pararam Sebastian Vettel (Red Bull) e Pérez. Na volta 9, com a parada de Mark Webber (Red Bull), Hulkenberg figurou na quarta colocação.

Pressionado pelo compatriota Vettel, que andava com pneus novos, Nico foi ultrapassado na volta 10, caindo para o quinto lugar. Contudo, voltou à posição com a parada de Fernando Alonso (Ferrari) na volta 12. À frente dele, além de Vettel, estavam Romain Grosjean (Lotus) e Jenson Button (McLaren). Hulk se manteve em quarto lugar até a volta 17, quando, enfim, fez seu primeiro pit stop. No retorno à pista, novamente com pneus médios, apareceu em 12º.

Andando sempre acima do limite do carro, Hulk chegou a figurar na quarta posição em Nurburgring

Andando sempre acima do limite do carro, Hulk chegou a figurar na quarta posição em Nurburgring

Na volta 19, subiu uma posição, com o segundo pit stop de Ricciardo. Na volta 21, o grande momento de Hulk na corrida: superou Valtteri Bottas (Williams) e Adrian Sutil (Force India), subindo para o nono lugar. Com os pit stops de Pastor Maldonado (Williams), Hamilton e Pérez, Nico apareceu na sexta colocação. Naquele momento, na volta 23, um caso insólito: Jules Bianchi (Marussia) abandonou em Nurburgring. Contudo, de forma inesperada, o carro vazio voltou à pista. Alguns pilotos desviaram do Marussia. Para evitar o pior, a direção da prova determinou a entrada do safety car.

A relargada aconteceu na volta 30. Hulkenberg seguiu na sexta posição até a volta 37, quando fez seu segundo pit stop. No retorno, mais uma vez com pneus médios, apareceu no distante 16º lugar. Com pneus novos, tratou de acelerar. Passou por Webber, Bottas e Rosberg. Com a estratégia dos adversários para realizar a terceira e derradeira parada, se viu na nona posição na volta 46. Porém, seus pneus começaram a perder rendimento, e foi superado por Hamilton na volta 48. Na passagem seguinte, fez sua última parada. Desta vez, colocou os pneus macios e voltou para a pista novamente na 16ª posição.

Com pneus macios, Nico partiu para cima dos rivais. Como prêmio, levou um ponto

Com pneus macios, Nico partiu para cima dos rivais. Como prêmio, levou um ponto

Nico tinha 11 voltas e seis carros à frente para retornar ao top 10. Seria possível? O alemão da Sauber foi para cima dos adversários. Com os pneus macios, virava mais rápido que os rivais. Na volta 51, superou Maldonado. Na 52, o companheiro Esteban Gutiérrez. Na 53, foi a vez de deixar Sutil para trás. Na 54, ganhou uma posição com a parada final de Bottas. Estava, enfim, na 12ª colocação. A partir dali, precisaria ultrapassar. Hulk foi à luta. Na volta 56, não tomou conhecimento de Ricciardo. Logo adiante, estava Di Resta. Hulkenberg se fez valer dos pneus e ganhou o 10º lugar do escocês na volta 58.

“Foi uma corrida muito difícil”, analisou o alemão da Sauber após a bandeirada, na volta 60. “Eu lutei por posições o tempo todo. Para ser honesto, eu esperava que o ritmo de corrida fosse melhor hoje. Pensei que poderíamos brigar com a McLaren, mas eles estavam mais rápidos do que nós. Foi uma corrida com muitas ultrapassagens e disputas roda a roda, o que sempre é divertido, embora não seja bom para a estratégia, pois se perde tempo e os pneus se desgastam mais”, explicou Hulk, saboreando a conquista de um suado pontinho.

Com pneus macios, Nico partiu para cima dos rivais. Como prêmio, levou um ponto

O alemão da Sauber analisou a prova como divertida, com muitas ultrapassagens e disputas roda a roda

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s