França-1957: o único GP de um pernambucano na história

Herbert McKay-Fraser (BRM) em ação em Rouen: destino impediu sequência da carreira do recifense

MacKay-Fraser em Rouen: destino impediu sequência da carreira do recifense

Sim, você leu bem: um pernambucano já correu na Fórmula 1. Sim, no GP da França de 1957, no circuito de Rouen. O nome desse natural do Nordeste? Herbert MacKay-Fraser. Estranho? Nada disso. Mac Fraser, como ficou popularmente conhecido no automobilismo dos anos 1950, nasceu em 23 de junho de 1927, no Recife, capital de Pernambuco. Mas calma: como pressupõe o nome do piloto, ele não defendeu as cores do Brasil. Herbert tinha nacionalidade norte-americana.

Para entender a história de Mac Fraser, é preciso retornar aos anos 1920. Naquela época, a família de MacKay-Fraser investia na plantação de café no Brasil. Por conta disso, Herbert acabou nascendo na capital pernambucana. Na internet, há poucas informações sobre a vida do jovem Mac Fraser. Todavia, chega-se a conclusão de que esse ‘ianque recifense’ viveu em momentos intercalados no Brasil e nos Estados Unidos.

Em solo tupiniquim, viveu no Recife e no Rio de Janeiro; em terras estadunidenses, morou em Wyoming, onde seria dono de uma fazenda, e na California, onde começaria sua carreira como piloto, já na década de 1950. Nas provas de rua na California, onde utilizava um Jaguar XK120, MacKay-Fraser conheceu Phil Hill, o primeiro norte-americano campeão mundial de Fórmula 1, em 1961.

MacKay-Fraser viveu entre o Brasil e os Estados Unidos

MacKay-Fraser viveu entre o Brasil e os EUA

Depois de competir nos Estados Unidos, Mac Fraser correu no Brasil com sua própria Ferrari 750 Monza, obtendo bons resultados. Diante do sucesso nas pistas e da obsessão pelo automobilismo, Herbert planejou voos maiores. A Europa se tornou meta para o piloto. Em junho de 1955, ele viajou para o Velho Mundo e levou sua Ferrari. Primeiro, residiu em Portugal. Em 1956, se mudou para a Inglaterra,  onde passou a pilotar pela Lotus, time recém-formado pelo britânico Colin Chapman.

Com os carros esportivos do time britânico, obteve bons resultados em provas endurance em Reims (França) e Nurburgring (Alemanha), correndo ao lado do sueco Jo Bonnier e do próprio Chapman. O sonho europeu estava sedimentado. MacKay-Fraser se colocou entre os grandes. Faltava chegar à Fórmula 1. Mas a chance chegou da maneira mais inesperada.

No verão europeu de 1957, a Vanwall estava combalida. Tony Brooks sofreu um acidente em Le Mans e estava fora de combate. Stirling Moss, por sua vez, estava com sinusite. Sem sua dupla, a escuderia apelou para Roy Salvadori, da BRM, para a disputa do GP da França, em Rouen. E quem ficaria com o cockpit de Salvadori? Herbert MacKay-Fraser.

Pôster do GP da França de 1957, o 1º - e último - de um recifense

GP da França de 1957, o único de um recifense

Nos treinos para a etapa francesa, o ianque-pernambucano ficou com o 12º lugar no grid, com o tempo de 2m29s9, imediatamente atrás de seu companheiro de equipe, Ron Flockhart, que fez 2m27s8. Em sua estreia, ficou à frente de ninguém menos que Jack Brabham (Cooper), que anotou 2m30s9 e largaria em 13º. A pole ficou com Juan Manuel Fangio (Maserati), com o incrível tempo de 2m21s5, mais de 1s à frente de seu parceiro Jean Behra, o segundo no grid.

Eis que chegou o dia da prova. Em 7 de julho de 1957, nos mais de 8 km do circuito de Rouen, MacKay-Fraser fez sua estreia. E logo surpreendeu. Herbert saltou de 12º para o sexto lugar na primeira volta. À sua frente, apenas os Maserati de Fangio, Behra e Harry Schell e os Ferrari de Luigi Musso e Peter Collins. Era espantoso levar um BRM ao top 6. Porém, aos poucos, a inferioridade de seu equipamento se fez presente. Na volta 6, Carlos Menditeguy (Maserati) superou Mac Fraser, que caiu para sétimo.

À frente, Mac Fraser venceu o duelo com Mike Hawthorn (Ferrari)

À frente, Mac Fraser venceu o duelo com Mike Hawthorn (Ferrari)

A partir dali, MacKay-Fraser travou um árduo duelo com Mike Hawthorn (Ferrari). Diante do britânico, que em 1958 se tornaria campeão de F1, o recifense teve um embate duro. Hawthorn superou-o na volta 13, mas Mac Fraser deu o troco na volta 21. Quando estava estabelecido no sétimo lugar, Herbert enfrentou problemas na transmissão de seu BRM, e foi obrigado a abandonar na volta 24. A título de comparação, Mike encerrou o GP da França em quarto. A vitória ficou com Fangio, seguido por Musso e Collins.

O início promissor, porém, sofreria um golpe severo. Apenas uma semana depois de estrear na Fórmula 1, em 14 de julho de 1957, MacKay-Fraser participaria do GP de Reims de Fórmula 2. A bordo de um Lotus que havia disputado as 24 Horas de Le Mans, Herbert sofreu um acidente fatal. Tinha apenas 30 anos. Foi uma interrupção brusca de uma carreira em ascensão. Também foi a primeira morte de um piloto da Lotus, que estrearia na Fórmula 1 apenas no GP de Mônaco de 1958.

Apesar da fatalidade, Mac Fraser entrou para a história: é, até hoje, o único natural do Nordeste brasileiro a atuar na categoria máxima do automobilismo.

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em BRM, Carlos Menditeguy, Cooper, França, Harry Schell, Herbert McKay-Fraser, Jean Behra, Jo Bonnier, Lotus, Luigi Musso, Maserati, Peter Collins, Ron Flockhart, Rouen, Roy Salvadori, Tony Brooks, Vanwall. ligação permanente.

Uma resposta a França-1957: o único GP de um pernambucano na história

  1. Fernando Mayer diz:

    Fascinante!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s