Mônaco-2013: Sutil e a ‘criação’ de pontos de ultrapassagem

Adrian Sutil ficou em quinto em Mônaco, atrás apenas das duplas da Mercedes e da Red Bull

Adrian Sutil ficou em quinto em Mônaco, atrás apenas das duplas da Mercedes e da Red Bull

Dizem que é impossível ultrapassar no GP de Mônaco. Falam que só há troca de posições caso o piloto que esteja à frente errar ou vacilar. Espalham por aí que a emoção só acontece no Principado quando a chuva se faz presente. Bem, todas essas máximas caíram por terra. Depois do que fez Adrian Sutil (Force India) durante a etapa do último domingo, 26 de maio, todos os mantras a respeito do circuito precisarão ser revistos. O alemão realizou uma prova irrepreensível. E melhor: reinventou o termo ultrapassagem nas ruas monegascas.

Ao superar os campeões Jenson Button (McLaren) e Fernando Alonso (Ferrari) na freada da Curva Loews, Sutil provou que astúcia e domínio da situação são fórmulas ideais para superar os adversários na estreia pista de Mônaco. O arrojo de Adrian foi recompensado com o quinto lugar. O piloto da Force India ficou atrás apenas das duplas da Mercedes (Nico Rosberg foi o vencedor, e Lewis Hamilton, o 4º) e da Red Bull (Sebastian Vettel ficou em 2º, e Mark Webber, em 3º). Ferrari e McLaren foram para o bolso dele.

Na largada, Adrian Sutil foi superado por Jenson Button: troco viria na volta 52

Na largada, Adrian Sutil foi superado por Jenson Button: troco viria na volta 52

Além dos carros das equipes consideradas grandes, o alemão se impôs diante de seu companheiro de time, o escocês Paul di Resta. Mas não foi apenas na corrida que Sutil brilhou. Durante todo o fim de semana, viveu bons momentos. A começar pela classificação. Combativo e veloz, o alemão avançou para o Q3 em Mônaco. Di Resta, por sua vez, decepcionou – parou no Q1. Na sessão decisiva, Adrian anotou 1m15383, o que lhe assegurou o oitavo lugar no grid, a 1s5 de Rosberg, o pole.

Pontuar era algo real para Sutil. Ainda mais em Mônaco, pista onde ultrapassar é quase impossível. Logo, largar bem praticamente selaria a sorte no GP. Contudo, Adrian acabou cedendo a oitava posição para Button, caindo para o nono lugar. O inglês da McLaren passou a ditar o ritmo. Encaixotado, o alemão da Force India passou a persegui-lo. Contudo, sem sucesso. “Foi difícil avançar na primeira parte da corrida, quando fiquei preso em uma fila de carros”, reconheceu. Ali, Sutil permaneceu até a volta 25, quando foram iniciadas as paradas nos boxes.

Na primeira parte do GP, o alemão da Force India ficou encaixotado atrás dos adversários

Na primeira parte do GP, o alemão da Force India ficou encaixotado atrás dos adversários

Cinco voltas depois, Adrian apareceu na quarta posição, quando realizou seu pit stop. No mesmo momento, Felipe Massa (Ferrari) se espatifava na curva Saint Devote. Safety car na pista. Sutil voltou para a nona posição. Entre as voltas 31 e 38, a prova esteve sob bandeira amarela. Na relargada, o alemão se manteve no nono lugar até a volta 45. Naquela passagem, Max Chilton (Marussia) acertou Pastor Maldonado (Williams) na curva da Tabacaria. O acidente entre o inglês e o venezuelano danificou a pista naquele ponto.

A direção da prova decidiu, então, interromper o GP para consertar o guard-rail atingido por Maldonado. A corrida ficou paralisada por 20 minutos. “A bandeira vermelha abriu mais oportunidades. Isso significa que todos estavam na mesma estratégia até o final”, analisou Adrian. Na relargada, Sutil, ainda em nono, passou a pressionar Button. Mas por onde ultrapassar?

Após a relargada, Adrian passou a perseguir Button e Alonso. Mas por onde ultrapassar?

Após a relargada, Adrian passou a perseguir Button e Alonso. Mas por onde ultrapassar?

A resposta quem deu foi o próprio alemão. “Eu percebi que o hairpin era uma área onde eu tinha a chance de ultrapassar, então tentei com Jenson e funcionou”, afirmou o piloto da Force India. O alemão surpreendeu o inglês da McLaren na volta 52. Jamais Button imaginou que alguém pudesse ultrapassar na freada da Curva Loews, feita a menos de 50 km/h. Após a sensacional manobra, Sutil se deparou imediatamente com Alonso. E lá foi Adrian para cima do bicampeão. Na volta 57, o ‘dèja vu’.

“Fiz o mesmo com Fernando e funcionou outra vez. Acho que mostrei que é possível ultrapassar em Mônaco”, celebrou o piloto da Force India, que, com a ultrapassagem sobre Alonso, assumiu o sétimo lugar. Na volta 62, Romain Grosjean (Lotus) abalroou Daniel Ricciardo (Toro Rosso), provocando nova entrada do safety car. Na relargada, na volta 67, Sutil assistiu ‘de camarote’ ao duelo entre Sergio Pérez (McLaren) e Kimi Raikkonen (Lotus). Na volta 70, o mexicano, de forma atabalhoada, tocou no finlandês. Kimi caiu para o fim do pelotão. Com isso, Adrian foi para sexto.

Na volta 57, Sutil repetiu manobra feita sobre Button e superou Alonso na Loews

Na volta 57, Sutil repetiu manobra feita sobre Button e superou Alonso na Loews

Por conta das sequelas do acidente com Raikkonen, Pérez abandonou na volta 73. O alemão da Force India herdou, assim, um lugar no top 5 de Mônaco. “O quinto lugar foi fantástico. É o resultado que nós precisávamos e estou muito feliz no momento. O carro estava muito bom e nós tiramos o máximo das chances que apareceram em nosso caminho. O time fez um trabalho excelente durante todo o fim de semana e nós, definitivamente, merecemos este resultado”, comemorou Sutil.

À frente de Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), oitavo em Mônaco, Sutil celebra o quinto lugar

À frente de Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), oitavo em Mônaco, Sutil celebra o quinto lugar

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Adrian Sutil, Daniel Ricciardo, Force India, Jean-Eric Vergne, Marussia Virgin, Max Chilton, Mônaco, Pastor Maldonado, Paul di Resta, Toro Rosso, Williams. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s