Espanha-2013: sétimo lugar reitera boa fase de Di Resta

Paul di Resta ficou à frente da dupla da McLaren e quase levou o 6º lugar de Nico Rosberg (Mercedes)

Paul di Resta ficou à frente da dupla da McLaren e quase levou o 6º lugar de Nico Rosberg (Mercedes)

Depois de um irrepreensível desempenho no GP do Bahrein, onde afirmou ter feito a melhor prova de sua carreira, Paul di Resta desembarcou na Espanha com o objetivo de manter o bom momento vivido em Sakhir, onde conquistou o quarto lugar. Em Montmeló, a meta do britânico da Force India era pontuar novamente. E mais uma vez obteve êxito: conquistou o sétimo lugar na etapa espanhola. Por pouco, não tirou o sexto lugar de Nico Rosberg (Mercedes), o pole position no sábado. De quebra, ficou na frente da dupla da McLaren, Jenson Button e Sergio Pérez. Sinal de que a escuderia e Paul estão em franca evolução na atual temporada.

“Nós dissemos antes da corrida que a sétima posição seria um bom resultado e no final estávamos lutando até mesmo pelo sexto lugar com Nico. Então podemos levar muitas coisas positivas deste fim de semana, porque Montmeló é uma pista em que tradicionalmente nosso carro não se adaptava”, avaliou Di Resta após a corrida de domingo, 12 de maio de 2013. “O resultado mostra a consistência que estamos tendo desde o início do campeonato e que podemos continuar assim no decorrer da temporada”.

Nos treinos, Di Resta classificou para o Q3, alinhando seu Force India na 10ª posição

Nos treinos, Di Resta classificou para o Q3, alinhando seu Force India na 10ª posição

O grande mérito para o bom momento de Di Resta no ano tem sido o fato dele se classificar bem. Nas cinco provas realizadas em 2013 até o momento, Paul saiu na frente do companheiro de time, Adrian Sutil, por quatro oportunidades. No Circuito da Catalunya, por exemplo, o escocês conseguiu levar o Force India ao top 10, enquanto o alemão parou no Q2. “Foi um grande esforço da equipe alcançar o Q3”, reconheceu Di Resta, que alinhou seu carro na 10ª posição – já Sutil ficou com o 13º lugar no grid.

Na largada, porém, quem surpreendeu foi o germânico. Adrian realizou uma primeira volta impressionante. Saindo do lado limpo da pista, saltou do 13º para o oitavo lugar. Di Resta, por sua vez, saltou no meio da sujeira. Ainda assim, conseguiu se manter na 10ª colocação. Com Romain Grosjean (Lotus) fora do páreo – enfrentou problemas na suspensão de seu E21 e abandonou a prova -, Paul assumiu o nono lugar na volta 7. Na passagem seguinte, Sutil foi aos boxes. Contudo, a Force India se atrapalhou na troca de pneus, devolvendo o alemão à pista na última posição.

Os pneus Pirelli se desgastavam rapidamente em Montmeló. Di Resta foi um dos 13 pilotos que fizeram quatro paradas

Os pneus Pirelli se desgastavam rapidamente em Montmeló. Di Resta foi obrigado a fazer quatro paradas

Di Resta fez seu primeiro pit stop na volta 10. Desta vez, a escuderia indiana não comprometeu, e o escocês retornou na 12ª posição. Na volta 11, superou Lewis Hamilton (Mercedes), segundo no grid e que havia acabado de parar nos boxes, e subiu para nono. Com as paradas de Esteban Gutiérrez (Sauber) – que liderou a prova nas voltas 11 e 12 – e Jenson Button (McLaren), Paul se viu na sétima colocação. Ele só deixaria essa posição na volta 19, quando retornou aos boxes. Sinal de que os pneus médios da Pirelli não estavam resistindo ao piso de Montmeló. Depois do pit stop, figurava na 14ª posição.

A partir daí, os pilotos adversários também foram obrigados a parar cedo. Na volta 25, quando estava na nona posição, travou um bom duelo com Button. O escocês da Force India se aproveitou do desgaste dos pneus do inglês da McLaren e assumiu a oitava colocação na volta 27. Na passagem seguinte, com a parada de Rosberg, subiu para sétimo. Na 29, com o pit stop de Gutiérrez, foi para sexto, atrás somente das duplas da Ferrari (Fernando Alonso e Felipe Massa) e da Red Bull (Sebastian Vettel e Mark Webber), além de Kimi Raikkonen (Lotus).

Com os pneus desgastados, Paul não resistiu ao ataque de Mark Webber (Red Bull)

Com os pneus desgastados, Paul não resistiu ao ataque de Mark Webber (Red Bull)

Na volta 37, Webber fez seu terceiro pit stop. Assim, Di Resta passou a ocupar o quinto lugar. Porém, por pouco tempo – os pneus estavam literalmente ‘na lona’. Na volta 39, Paul foi aos boxes para sua terceira parada, retornando à pista na 10ª posição. Na passagem seguinte, subiu para nono por conta da ida aos boxes de Daniel Ricciardo (Toro Rosso). Na volta 42, superou Gutiérrez para assumir o oitavo lugar. Três voltas depois, ultrapassou Button – que tinha pneus desgastados – e conquistou o sétimo posto. Com a parada de Rosberg na volta 48, reassumiu o sexto lugar.

O escocês da Force India ainda alcançou a quinta colocação na volta 51 por conta do pit stop de Webber. Todavia, logo foi superado pelo australiano. Também pudera: os pneus do carro de Paul ‘abriram o bico’, e ele teve que ir aos boxes na volta 53. Após seu quarto e definitivo pit stop, retornou à pista na sétima posição. Com pneus mais novos que Rosberg, sexto colocado, se aproximou perigosamente, mas não teve tempo de superar o alemão da Mercedes. Di Resta recebeu a bandeira a apenas 0s9 de Nico. Melhor: mais de 10 segundos à frente de Button e Pérez, a dupla da multicampeã McLaren.

Paul di Resta terminou o GP da Espanha à frente da dupla da McLaren - Jenson Button e Sergio Pérez

Paul di Resta terminou o GP da Espanha à frente da dupla da McLaren – Jenson Button e Sergio Pérez

“Ainda há mais por vir, porque ainda podemos melhorar o carro com as atualizações que trouxemos para a Espanha, mas hoje foi definitivamente um grande resultado para a gente”, resumiu Paul, satisfeito com a sétima colocação. A vitória em Montmeló ficou com Alonso, seguido por Raikkonen e Massa. Destaque para a melhor volta da corrida, anotada por Gutiérrez na volta 56 (1m26s207). Foi a a primeira vez que o mexicano da Sauber, 11º no GP da Espanha, anotou uma flying lap na carreira.

O escocês da Force India não escondeu a satisfação com o bom momento na temporada 2013

O escocês da Force India não escondeu a satisfação com o bom momento na temporada 2013

Advertisements

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Adrian Sutil, Daniel Ricciardo, Espanha, Esteban Gutiérrez, Force India, Montmeló, Paul di Resta, Sauber, Toro Rosso. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s