Malásia-2013: Hulk estreia com estilo e bronca em Sepang

Nico Hulkenberg levou a Sauber ao oitavo lugar no GP da Malásia

Nico Hulkenberg levou a Sauber ao oitavo lugar no GP da Malásia

Calma, nobre leitor. Antes que você conteste o título deste post, vale um lembrete: Nico Hulkenberg não correu no GP da Austrália de 2013. Ele não pôde alinhar seu Sauber no grid de largada em Melbourne. Logo, o alemão só conseguiu estrear em sua nova escuderia no último dia 24 de março, em Sepang, durante o GP da Malásia, segunda etapa do Mundial. E ele mostrou porque seu nome está em alta na categoria. Com um bom desempenho, Hulk desafiou McLaren e Lotus e, mesmo com um carro reserva, chegou em oitavo.

E por que o debut na equipe suíça teve de ser adiado por uma semana? A Sauber optou por não colocar o carro na pista de Albert Park por uma questão de segurança, uma vez que uma rachadura na célula de combustível foi detectada. Nico lamentou o problema na ocasião. “Fiquei muito decepcionado, mas, ao mesmo tempo, não estou culpando ninguém. Coisas assim acontecem em corridas”.

Hulk precisou usar um novo chassi após não participar do GP da Austrália

Hulk precisou usar um novo chassi após não participar do GP da Austrália

Com a rachadura, o time suíço enviou o carro para a fábrica de Hinwil, na Suíça, onde seria avaliado. Em contrapartida, um chassi reserva foi levado da Europa até Sepang para ficar à disposição do alemão. Por conta disso, dúvidas pairavam sobre o nível do equipamento entregue para Hulkenberg. Ainda assim, Nico poderia fazer a diferença graças ao clima instável na região do circuito.

Entretanto, no treino oficial para o GP da Malásia, o alemão ficou no Q2. Foi apenas o 12º colocado. Ainda assim, ficou à frente do seu companheiro, o novato Esteban Gutiérrez – o mexicano obteve o 14º tempo. A aposta de Hulkenberg, novamente, se voltava ao piso ora molhado, ora seco, da pista malaia. Para a largada de Sepang, o piso úmido fez com que os pilotos largassem com pneus intermediários. Foi o segredo para a boa performance de Nico nas primeiras voltas.

Durante as primeiras voltas, Nico se impôs diante da concorrência

Durante as primeiras voltas, Nico se impôs diante da concorrência

Logo na volta 1, Hulk superou a dupla da Lotus, Kimi Raikkonen e Romain Grosjean, e assumiu o 10º lugar. Com o abandono de Fernando Alonso (Ferrari) no início da volta 2, saltou para o nono posto e passou a perseguir Adrian Sutil (Force India). Na volta 4, Nico superou Adrian – justamente quem o sucedeu na equipe indiana. Na volta 5, o alemão da Sauber passou por Sergio Pérez (McLaren) e figurou na quinta posição. “No começo da corrida, éramos muito rápidos com os pneus intermediários”, reconheceu Nico na coletiva pós-GP.

Na volta 7, ele foi aos boxes, retornando à pista na sexta posição. “A partir daí, fiquei preso no tráfego e não consegui encontrar meu caminho e passar os outros pilotos”, emendou. O entrave tinha nome e sobrenome: Jenson Button. O piloto da McLaren segurou Hulkenberg, Felipe Massa (Ferrari) e Grosjean e Raikkonen. Na volta 21, Hulk fez sua segunda parada. No retorno, caiu para o oitavo lugar – perdeu posições para Massa e Grosjean.

Hulkenberg travou duelo intenso com Raikkonen, mas foi superado na volta 41

Hulkenberg travou duelo intenso com Raikkonen, mas foi superado na volta 41

A partir daí, o alemão da Sauber passou a duelar com Raikkonen, o vencedor de Melbourne. Hulkenberg parou Kimi o quanto pôde. Inclusive, a ponto de fazer seu terceiro pit stop, na volta 35, e voltar à frente do finlandês. Porém, na volta 41, o piloto da Lotus superou Nico. Neste momento, Hulkenberg se encontrava na nona posição. Mesmo assim, o alemão encontrou forças para superar Pérez na volta 54, assegurando o oitavo lugar.

Eu me sinto bem recompensado indo para casa com quatro pontos após a minha primeira corrida da temporada com uma nova equipe e com um carro novo. Acho que foi merecido, considerando que eu precisei lutar e acelerar bastante. Penso que temos potencial e agora precisamos trabalhar em alguns detalhes”, observou o alemão, que, segundo o jornal germânico Blick, criticou a escuderia após a bandeira quadriculada. “Temos que melhorar em muitas áreas. Isto é inaceitável”, teria dito o piloto.

Apesar de criticar a Sauber, Nico ganhou elogios de Monisha Kaltenborn

Apesar de criticar a Sauber, Nico ganhou elogios de Monisha Kaltenborn

Mesmo com a alfinetada na equipe, Hulk foi elogiado pela chefe da Sauber, Monisha Kaltenborn. “Claro que você pode ver que para nós é duro manter alguns carros atrás de nós, mas acho que Nico fez um trabalho muito bom e lutou o tanto que pode. Penso que ele mostrou sua habilidade e mostrou a razão pela qual o contratamos”, disse Monisha.

Clique e veja o duelo entre Nico Hulkenberg e Kimi Raikkonen no GP da Malásia de 2013

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Adrian Sutil, Austrália, Esteban Gutiérrez, Force India, Malásia, Melbourne, Monisha Kaltenborn, Nico Hulkenberg, Sauber, Sepang. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s