Hungria-2012: consistência, a chave de Bruno em Hungaroring

Bruno Senna foi o sétimo no GP da Hungria de 2012

Bruno Senna foi o sétimo no GP da Hungria de 2012

Assim como a Fórmula 1, o “Contos da Fórmula 1” esteve em férias no mês de agosto. Com a proximidade do GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, vale recordar qual foi o principal personagem da última prova da temporada 2012 realizada até aqui: o GP da Hungria, disputado em 29 de julho em Hungaroring, mostrou um Bruno Senna amadurecido. Com consistência, o brasileiro da Williams obteve um convincente sétimo lugar na etapa de Budapeste. Muito por conta de um bom ritmo nos treinos oficiais, o calcanhar de Aquiles do sobrinho de Ayrton Senna neste ano, e de regularidade durante a desgastante prova húngara.

Para assegurar a posição na prova, Bruno se superou. Obteve um lugar no Q3 em Hungaroring, o que foi fundamental para suas pretensões na corrida. O fato do circuito húngaro não contar com pontos de ultrapassagem decretava que uma boa colocação nos treinos selava o destino no GP. Ficou em nono, seu melhor treino em 2012 até o momento. “Estou muito contente. Não deu para ficar entre os cinco, mas entrar pela primeira vez entre os 10 foi gratificante”, admitiu Bruno.

Duelo brasileiro: o piloto da Williams não teve problemas em segurar Felipe Massa

Duelo brasileiro: o piloto da Williams não teve problemas em segurar Felipe Massa

Para marcar pontos, o brasileiro tinha um objetivo traçado. “Quero fazer uma boa largada, quem sabe ganhar posições e somar o maior número de pontos possível”, contou o piloto da Williams. A largada até foi boa. Bruno partiu para cima de Felipe Massa (Ferrari) e de Pastor Maldonado (Williams), superando os sul-americanos. Chegou a emparelhar seu carro com Fernando Alonso (Ferrari), mas o espanhol espalhou para cima de Senna, que acabou perdendo o sétimo lugar para Mark Webber (Red Bull).

A partir daí, a corrida se tornou uma procissão. Bruno teve bons momentos. Com um carro inferior, segurou Jenson Button (McLaren) o quanto pôde. Entre as voltas 35 e 41, o brasileiro barrou o britânico, que mudou de tática e tentava recuperar posições.  “Acho que esse foi o ponto alto”, disse o piloto da Williams sobre a disputa, que só terminou quando Senna entrou nos boxes para a troca dos pneus.

O sétimo lugar rendeu seis pontos a Bruno: 24 pontos em 11 GPs

O sétimo lugar rendeu seis pontos a Bruno: 24 pontos em 11 GPs

Depois, duelou com Webber. O australiano foi aos boxes na volta 56 e voltou atrás do brasileiro. Por 14 voltas, Bruno segurou Mark. Com pneus novos, o vice-líder do Mundial pressionou o piloto da Williams. Contudo, Senna domou o adversário e assegurou o sétimo lugar.  “A traseira do meu carro encheu de borracha, prejudicou a aerodinâmica e reduziu a pressão aerodinâmica. Ficou difícil, mas deu certo”, analisou. “Largar mais à frente, como aqui em Hungaroring, dá mais tranquilidade para brigar pelos pontos e diminui bastante os riscos de acidente na largada”, completou.

Foi a sexta vez em 11 etapas que Bruno conduziu o Williams FW34-Renault à zona de pontos. Na Hungria, somou mais seis pontos e chegou aos 24 na classificação geral. “Estou muito contente, e a equipe também. Foi um fim de semana forte no geral para a gente. O ritmo na corrida esteve bom e pude ganhar uma posição ou outra. Dentro das possibilidades, foi o que deu para fazer”, comentou o piloto da Williams.

Em Hungaroring, Bruno teve disputas acirradas com Massa, Button e Webber

Em Hungaroring, Bruno teve disputas acirradas com Massa, Button e Webber

Anúncios

Sobre contosdaf1

Desde 1981, um amante de automobilismo. E veio desde o registro, quando no cartório seu pai foi questionado se queria colocar o nome "Willians" no garoto. "Esse é o nome de uma escuderia. Pode dar problema para ele no futuro", disse a escrivã. Hoje em dia, a equipe Williams voltou a se destacar, enquanto o menino segue o destino. Jornalista, nascido em Santos, cobriu os GPs do Brasil de 2005 a 2009 em Interlagos pelo jornal A Tribuna. Acompanha a Fórmula 1 religiosamente desde 1986. Pretende fazer isso até seus últimos dias. Afinal, o faz desde o primeiro.
Esta entrada foi publicada em Bruno Senna, Contos da Fórmula 1, Hungaroring, Hungria, Pastor Maldonado, Williams. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s